Notícias

Aos 91 anos, idosa faz 1ª tatuagem para pagar promessa: “Nem doeu”

Aos 81 anos idosa faz capa

Nem aos 20 nem aos 90 anos, a senhora Líbia Guerreiro do Valle imaginou que um dia faria uma tatuagem. Aos 91, no entanto, após fazer uma promessa para o neto caçula, não lhe restou opção.

Na terça-feira (15/3), acompanhada por duas filhas, ela foi até um tatuador conhecido da família, em Goiânia, para riscar o braço e honrar a promessa. O desenho escolhido foi o de Nossa Senhora Aparecida, santa da qual Líbia é devota.

O motivo da promessa foi a aprovação do neto de 19 anos em Medicina. Pedro Henrique Guerreiro de Queiroz foi aprovado em uma faculdade de Ribeirão Preto (SP), depois de estudar em curso preparatório durante um ano.

“Falei para ele estudar bastante, fazer a parte dele e prometi que, se ele passasse, faria uma tatuagem. Nem com 20, nem com 90, imaginei que faria uma tatuagem. Isso foi porque eu prometi, e promessa a gente tem que cumprir”, conta ela.

Aos 81 anos idosa faz ft1

Direitos autorais: Reprodução.

Aos 81 anos idosa faz ft2

Direitos autorais: Reprodução.

Aos 81 anos idosa faz ft3

Direitos autorais: Reprodução.

Aos 81 anos idosa faz ft4

Direitos autorais: Reprodução.

Aos 81 anos idosa faz ft5

Direitos autorais: Reprodução.

A disposição de Líbia surpreendeu a família. Ela é mãe de três filhos, avó de nove netos e bisavó de quatro bisnetos. “Fiz no braço e ficou muito bonitinha. Ficou muito bom o resultado, graças a Deus”, comemora.

“Não senti dor”

Ao todo, foram necessárias duas horas de sessão para concluir a tatuagem. O desenho delicado, com muitos detalhes, levou um tempo para ficar pronto, mas passou longe de gerar algum incômodo.

“Não senti dor nenhuma. Minhas filhas foram comigo, ficaram conversando o tempo todo, sorrindo… Vejo pessoas em reportagens dizendo que sofreram muito de dor, mas cada um sente de um jeito, uns sofrem mais, outros menos. Eu não senti nada”, relata.

Distância

Agora, aprovado em Medicina, o neto terá de se mudar para outro estado para iniciar os estudos. Líbia conta que não se incomodará com isso e que lidará bem com a distância.

“Ah, mas aí ele vem nos feriados, nas férias, e a gente dá um jeitinho de ir lá também”, diz a avó feliz com a aprovação do neto caçula.

0 %