Pessoas inspiradoras

Após anos cantando em ônibus para pagar a faculdade, jovem se forma em Medicina e comemora!

Capa Apos anos cantando em onibus para pagar a faculdade jovem se forma em Medicina e comemora

O novo doutor cantava no transporte coletivo com seu violão e até vendia CDs com suas composições



Um jovem que é exemplo de perseverança finalmente realizou seu sonho de ser médico.

Vários cidadãos da cidade de São Luís, no Maranhão, presenciaram a luta pelos estudos que Joel Mistokeles Luís da Silva Macedo do Vale travou: o homem conseguiu custear seus estudos com o dinheiro que ganhava cantando no ônibus.

O tão sonhado diploma veio depois de sete anos de muito sacrifício e desafios, já que Joel, de 33 anos, equilibrava a vida acadêmica com os deveres de pai e esposo. Além de todas essas responsabilidades, Joel ainda encontrava espaço em sua agenda para levar um pouco de alegria e esperança para quem usava o transporte público, por meio da sua música.


O novo doutor conta que seu grande sonho sempre foi ser médico e,por causa das dificuldades financeiras, ele usou a melhor ferramenta que tinha ao seu favor: a música. As cantorias de Joel lhe rendiam dinheiro, pois ele vendia CDs com seu trabalho de músico, além de carregadores, cabos de eletrônicos e películas de celulares. O homem lutou com o que tinha pelo seu sonho.

Antes de optar pela música para custear sua graduação, Joel e a família produziam vários tipos de produtos do gênero alimentício típicos do Nordeste, como beiju, cuscuz de arroz, de milho, bolo de milho, e vendiam de porta em porta antes do horário da faculdade, o que significa que ele acordava por volta das 4 horas da manhã para dar início ao seu dia.

2 Apos anos cantando em onibus para pagar a faculdade jovem se forma em Medicina e comemora

Direitos autorais: reprodução Instagram/@joelmistoklesoficial.

A ideia de cantar nos ônibus surgiu quase que por mero acaso. De acordo com Joel, ele já cantava na igreja e realizava trabalho de evangelização de novos fiéis, mas foi em um momento de angústia, em janeiro de 2014, que ele percebeu que poderia usar seu dom para levar esperança às pessoas e ainda realizar o próprio sonho de tornar-se médico.


Em um dia que voltava para casa triste, pois lhe faltavam mantimentos, o homem sentiu vontade e começou a cantar, como se estivesse em seu quarto, “como se falasse com Deus”, como ele descreveu. Quando passou a catraca, Joel percebeu algumas pessoas emocionadas com sua música e sentiu que aquilo era obra do toque divino. Foi aí que ele entendeu que era ali que deveria compartilhar a sua música, no transporte público de sua cidade.

E assim fez. Em todos os dias de aula, ele ia e voltava cantando dentro do coletivo, sem cobrar nada por isso. O sistema de Joel funciona da seguinte forma: ele canta suas canções e só após terminadas é que ele oferecia o seu CD, mas cada passageiro interessado ficava livre para pagar o que pudesse no momento.

Em suas redes sociais, Joel relembrou em um vídeo sua trajetória no curso de medicina, desde a turma até os amigos que fez, a forma como impactou a vida dos pacientes e, é claro, o papel da música durante toda essa jornada.

3 Apos anos cantando em onibus para pagar a faculdade jovem se forma em Medicina e comemora

Direitos autorais: reprodução Instagram/@joelmistoklesoficial.


E agora que o cantor se transformou em doutor, os objetivos de Joel continuam centrados em ajudar os próximos e sua família. Sua esposa, que já trabalhava na área da saúde como odontóloga, interrompeu sua atuação no mercado para se dedicar aos dois filhos do casal. Agora formado, Joel quer ajudar sua esposa a também alcançar o sucesso profissional na área com que sempre sonhou, assim como ele.

Joel deseja atuar como médico o quanto antes, mas sempre estudando e aprimorando seu ofício. Embora não tenha ainda uma especialidade definida, uma coisa para ele é certa: a vontade incessante de oferecer sempre o melhor para os seus pacientes.

Respeitar as opiniões das outras pessoas é sinal de maturidade. Ninguém é dono da verdade!

Artigo Anterior

“Família: vínculo que cura e salva, vínculo que adoece e exclui”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.