Notícias

Após piora, homem mais alto do Brasil antecipa amputação da perna

homem mais altoo do mundo
Comente!

Conhecido como Ninão, Joélisson Fernandes da Silva, o homem mais alto o Brasil, precisou antecipar a cirurgia de amputação da perna direita para dia 3 de dezembro. Ele sofre de uma doença chamada osteomielite que causa infecção no osso do pé.

O paraibano se preparava para iniciar sessões de fisioterapia antes da cirurgia, porém, nos últimos dias, a infecção se agravou, o que levou o médico a decidir por operar o quanto antes.

Morador de Assunção, na Paraíba, Ninão, que mede 2,37 metros, e precisa da cadeira de rodas para se locomover.

Em uma campanha na internet, ele arrecadou R$ R$ 149.397,47, valor que será usado para pagar a cirurgia de amputação, a prótese e os demais custos pós-operatório.

homem mais alto brasil 1

Direitos autorais: Reprodução/Arquivo Pessoal.

Osteomielite

Por conta da sua altura e peso, Ninão desenvolveu uma ferida no pé direito e contraiu uma bactéria. Por falta de tratamento, ele acabou desenvolvendo a osteomielite, uma infecção no osso, diagnosticada há cerca de 4 anos.

Vários microrganismos, como bactérias, microbactérias e fungos podem causar a infecção. O principal sintoma é a dor.

O paraibano já passou por vários especialistas, mas todos recomendaram a amputação como forma de melhorar sua qualidade de vida.

A esperança é que com o uso da prótese, ele possa voltar a trabalhar e deixar de tomar os medicamentos para conter a infecção. Atualmente, ele gasta cerca de R$ 500 mensais com os remédios.

Antes de sofrer com as dores do pé e ficar em cadeira de rodas, Ninão trabalhava com propaganda e eventos. Hoje, recebe um pequeno auxílio de um salário mínimo e sua esposa ajuda trabalhando com decoração de festas.

homem mais alto do brasil amputacao

Direitos autorais: Reprodução/Arquivo Pessoal.

Gigantismo

Joélisson nasceu de parto normal, com tamanho e peso normais. Aos 5 anos de idade que sua mãe percebeu que ele estava crescendo demais, mas foi só na adolescência que os médicos descobriram um tumor no cérebro que causava crescimento descontrolado.

A retirada do tumor foi realizada em 2007, mas a cirurgia não extraiu tudo. Hoje, a doença está controlada, mas ele precisa tomar um medicamento para conter o crescimento, que custa em média R$ 9 mil e é cedido pelo governo.

Comente!

Miss Transex Brasil é presa no Rio por dopar e roubar clientes durante programas sexuais

Artigo Anterior

“Estrelinha”: a música gravada em 2018 por Marília Mendonça que deixa os fãs arrepiados após sua morte

Próximo artigo