publicidade

Aprenda a sentir o fluxo da vida. Nem sempre o caminho que você quer seguir é o que Deus tem para você.

Na medida que criamos em nossa mente expectativas de como as pessoas e coisas devem ser, preparamos o terreno para sofrimento.



Quanto mais você acreditar que sua felicidade depende de uma combinação de eventos externos, mais vai experimentar a dor da diferença entre sua ilusão e a realidade.

A vida vai se desenrolando. Não só existe o desejo individual de cada uma dos incontáveis trilhões de entidades vida… 

Não existem só as forças da física em ação mexendo de átomos as galáxias…

Aqueles que começam a navegar em seu despertar…


Aqueles que percebem e já ativaram sua espiritualidade, sabem que existe a direção geral da força de Deus.

E aí tem você nisso tudo, achando que pode controlar seu destino. Fala sério, né?

Então, aprenda a sentir o fluxo da vida. Na China surgiu o conceito de sentir o fluxo do TAO. O exemplo clássico é da folha descendo o rio. Quando a folhinha esbarra numa pedra, o que ela faz? Tenta quebrar a pedra? Fica esbravejando de raiva porque uma pedra entrou em seu caminho? Não. Ela flui ao redor da pedra e segue seu caminho. Você pode fazer o mesmo.


Seu rio é seu propósito, seu dharma. Você vai fluindo na vida vivendo seu propósito, colocando em ação seus múltiplos dharmas que eu explico no livro “O Caminho 3T”. Você sente a corrente de sua essência e de viver seus valores. Exatamente onde e como vai fluir sua vida, os detalhes externos, isso não importa.

A folhinha não se importa se o rio vira para a esquerda ou para direita, se é fundo ou raso, rápido ou lento, nem que pedra ou tronco vai encontrar no caminho.

A vida fica muito mais fácil quando você desenvolve esta habilidade de deixar as coisas fluírem. Deixe entrar as pessoas que têm que entrar na sua vida e igualmente deixe sair as pessoas que precisam sair. Entenda como um “não” é igual a um “sim”, por apenas lhe mostrar o caminho que precisa seguir. Uma porta fechando nada mais é que um empurrão em direção à porta que precisa abrir.

Krishna enfatiza isso tanto na Bhagavad-gita. Praticamente a instrução mais repetida nos ensinamentos de yoga de Krishna é a importância de desenvolver equanimidade, que é justamente essa mentalidade de ver que tudo que acontece externamente é igual para você. O verdadeiro você está existindo dentro, fluindo na existência eterna da vida. Os eventos e situações a seu redor são apenas o pano de fundo de sua ação e estado de consciência, que permanecem sempre alegres e brilhantes ao viver alinhados com o dharma e seu amor divino.

Quando ficamos correndo para todo lado, começando e parando coisas, sem nos aprofundar em nada… estamos esparramando. O sentimento de frustração e confusão prevalece, pois a ação está sem fluxo, desalinhada. Isso acontece quando não entendemos nosso propósito.

No vídeo a seguir avanço ainda mais nesse conceito:

E a mensagem que fica é: 

“Descarte expectativas e concentre-se em quem realmente é: sua natureza profunda, seus dharmas, seus valores. Encare tudo que lhe acontece como uma oportunidade de expressar sua essência. Ao fluir com a vida, você se sente leve e feliz, naturalmente.”

Não devemos confundir fluir com esparramar. Fluir tem direção. Esparramar é perder força. Para saber mais assista a palestra ABRIGO E REFÚGIO EM DEUS, sobre a busca de proteção divina e como perdemos a conexão facilmente com o divino, quando a mente divaga para fora do aqui e agora.

*Tema extraído do livro O Caminho 3T – Autoaprimoramento e autorrealização em yoga

 

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.