3min. de leitura

Aprende-se mais com críticas do que com falsos elogios

Criou-se nas redes sociais uma aversão generalizada contra quaisquer críticas, alegando que não se deve julgar, criticar, etc., etc. Por vezes, a intenção não é criticar, mas constatar um fato.

Todos apreciam belas palavras, elogios ou, simplesmente, que seja ignorado aquilo que entendem por errado.


Concordo que palavras de elogio são sempre bem aceitas e lavam a alma. Mas, se são falsas, apenas porque se deve dizer algo sobre o assunto e não se pretende contrariar seja quem for, essa atitude em nada contribui para que a vida na Terra melhore.

Vejamos, por exemplo, o hábito que alguns vizinhos têm, quando chegam em casa depois da meia-noite, falarem altíssimo, de umas divisões para outras, ligarem o rádio ou a televisão, sem respeitar o descanso os outros.

Antigamente, a noite era para dormir e o dia para trabalhar. Atualmente, com a vida moderna, os horários de trabalho são rotativos, o que significa que a toda a hora do dia e da noite estão sempre umas pessoas a descansar e outras a trabalhar.


E é por falta de descanso e de dormir que muitos acidentes acontecem e que algumas pessoas se apresentam neuróticas e com mau desempenho na ocupação que exercem. Devido a isso, todos devíamos reduzir ruídos desnecessários, a qualquer hora.

Também aqueles bebês que custam a adormecer ou aqueles velhinhos que se encontram doentes, ficam prejudicados com o barulho dessas pessoas inconscientes.

Mas se alguém chamar diretamente a atenção aos causadores do barulho, para o transtorno, o mais certo é serem mal recebidos ou iniciar-se uma discussão que nada resolve.

Cada um pretendendo elevar a voz acima da voz do outro, zangados, podem deixar de se falar, e o barulho noturno vai continuará, talvez com uma sonoridade superior, porque, infelizmente, ainda há pessoas vingativas.


Mas se essa chamada de atenção vier pela internet, não se dirigindo a alguém em especial, pode acontecer que essas pessoas percebam o mal que causam aos outros e comecem a evitar, pois terão tempo de ler e refletir, ao contrário de dialogar pessoalmente, quando uma mudança no tom de voz ou um olhar poder levar um dos interlocutores a interpretar de forma errada e exaltar-se.

Afirmam os pensadores de todas as épocas: “Não receiem os maus, mas os bons que se calam e permitem que o mal aconteça!”


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: yacobchuk / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.