5min. de leitura

As birras dos nossos filhos são um grande incentivo para o ensino da inteligência emocional

Todas as mães, em algum momento, precisam lidar com as famosas birras dos filhos, e isso nem sempre é fácil. As birras misturam gritos, choros e insatisfação. Nesses momentos, as mães podem se sentir perdidas, sem saber a maneira mais saudável de controlar a situação. No entanto, a atitude dos pais e da família nesses momentos delicados são fundamentais para orientar a saúde emocional da criança.


Cada criança é diferente, e muitas delas mostram uma personalidade forte desde cedo, o que pode deixar os familiares se perguntando de onde tiraram esse gênio. O fato é que as personalidades das crianças são formadas através da junção de vários fatores, e o contexto familiar é um dos mais importantes.

Não existe uma única razão motivadora das birras. É um processo natural de processamento das crianças, e por mais que não sejam agradáveis, todos nós podemos ajudar nossos filhos a construir uma base emocional saudável, através de presença e atitudes sábias.


As primeiras aparições das birras

As birras aparecerem na idade de 1 ano, e tendem a ser frequentes e intensas até os 4 anos de idade. Durante esse período, o cérebro da criança está começando a amadurecer, a se relacionar com as pessoas ao seu redor e exigir seu espaço e suas coisas.


Neste contexto, quando a criança não tem suas vontades atendidas, perde o controle, e aí começam as birras. No entanto, esse padrão não é saudável, e é por isso que precisamos saber as melhores maneiras de agir, porque caso contrário, o futuro de nossos filhos pode ser afetado por esse período da infância.


Não devemos ignorar as birras

As crianças não estão totalmente conscientes do que acontece em suas vidas até completarem 3 anos. Suas emoções estão sempre elevadas demais e elas se sentem perdidas.

Portanto, por mais que sejam cansativas, não podemos simplesmente ignorar as birras de nossos filhos. Elas indicam que algo está errado, e que precisam de sua compreensão.


Da mesma maneira, também não é saudável tratá-los com gritos e nervosismo durante as birras, porque ambos os lados saem prejudicados, feridos emocionalmente. Isso não contribui de nenhuma maneira positiva.


A importância da compreensão e da educação para a inteligência emocional

A infância é um período em que as crianças passam por um grande desenvolvimento, que não é fácil nem para nós e nem para elas. Precisamos ter a sensibilidade de entender as dores e frustrações pelas quais elas estão passando.

Portanto, quando seu filho tiver uma crise de birra, não seja tão rápido em brigar com ele, ignorá-lo ou se afastar. Nesses momentos, a calma é fundamental, porque cria um ambiente mais tranquilo para suas emoções se acalmarem.

Nesse contexto, é importante aproveitar o período até os 4 anos para o desenvolvimento da inteligência emocional. Abaixo estão algumas dicas para orientá-lo nesse caminho.


Ajude seus filhos a compreenderem limites, até onde podem ir.

  • Não tenha medo de dizer “não” quando você sentir que deve.
  • Estabeleça regras e seja fiel a elas.
  • Encontre uma maneira criativa de ensinar seus filhos a compreenderem emoções negativas e o que fazer para neutralizá-las. Uma sugestão é criar cartões com desenhos exemplificando cada uma dessas emoções, como medo, angústia, tristeza, raiva e o que fazer quando sentir cada uma delas.

Algumas vezes será mais complicado aplicar essas estratégias, mas a chave é manter a paciência e a presença, sabendo que seu papel é fundamental para a criação de uma pessoa consciente, feliz e saudável.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: katyashut / Unsplash





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.