5min. de leitura

As “boas” pessoas também enganam. Assim como as aparências.

Quantas vezes nos enganamos com as pessoas? Quantas vezes nos frustramos com alguma pessoa que acreditávamos que era uma pessoa, mas, na verdade, era outra?


Guarde todas essas palavras: máscaras, lábia, objetivos estabelecidos, expectativas criadas cedo demais, não prestar atenção demais nos ‘pequenos’ detalhes.

Sempre antes de conhecer alguém, estabeleça para você qual tipo de pessoa quer permitir que entre na sua vida para FICAR e fazê-lo (a) feliz. A partir desse processo, você estará esperto (a) e seletivo (a), descartando possibilidades de sofrimento futuro.

Pois bem, todos nós estabelecemos um objetivo quando conhecemos alguém, isso é inconsciente, normal do ser humano. Seja um objetivo de diversão, momentâneo, passageiro, ou até mesmo estabelecer um vínculo. É muito importante estarmos atentos aos pequenos sinais, pois os ‘pequenos’ são ENORMES diante dos resultados que virão.


É importante sermos analíticos, pois, sendo assim, saberemos decifrar as pessoas e seus comportamentos, evitando futuras frustrações e sofrimentos.

Não se engane, há muitas pessoas maldosas por aí, querendo apenas se divertir com qualquer ”brechinha ” que você der. Há muitas pessoas maldosas, mas eu posso garantir que as piores são aquelas de boa conduta que nos fazem acreditar que são confiáveis, e a partir daí, dão o ”bote”.


Como saber se estou sendo enganado (a)?

Quando conhecemos alguém, criamos uma percepção sobre a pessoa, a partir de detalhes que ela nos estabelece. É a partir daí que se criam expectativas positivas. É aí que mora o perigo. Devemos sempre tomar cuidado com pessoas cheias de lábia, que dizem exatamente aquilo que você quer ouvir. São pessoas que já estabeleceram objetivo com você. São contadas mentiras que são convencidas como verdades. A única maneira de escapar de uma pessoa assim e saber se está sendo enganada, é prestar atenção nos detalhes, que elas mesmo, inconscientemente, enviam.

Saiba montar o ‘quebra-cabeça’, saiba ser uma pessoa esperta, anote todos esses detalhes, estude-os, decifre-os.

Assim como as aparências enganam, boas pessoas também enganam.

Mas por que foi enganado (a) por uma pessoa em quem confiava tanto?

É exatamente aí que mora o problema. Muitas vezes criamos uma percepção errada sobre as pessoas, acreditamos que elas são confiáveis, acreditamos nas suas palavras, na sua conduta, na sua integridade.

Porém, a culpa não é sua por ter se enganado ou por ter criado uma percepção errada sobre ele (a), a culpa é da pessoa que ainda não aprendeu a ser íntegra o suficiente e aproveita-se das vulnerabilidades alheias para curar o próprio ego ferido. Você apenas teve uma má sorte por ter esbarrado com uma pessoa assim.

Qual lição terei com essas pessoas?

Você terá muitas lições, acredite! Aprenderá a não ser como elas, pessoas fracas e egocêntricas. Aprenderá a ser mais atento (a) e a dar mais valor aos pequenos detalhes que elas mesmas enviam, inconscientemente. Aprenderá que existem pessoas boas, mas também, ao mesmo tempo, saberá que as pessoas podem ser más, que podem aproveitar de suas vulnerabilidades para curar de seu ego ferido. Aprenderá que as aparências são apenas uma ”capa ” ou superficialismo, o verdadeiro tesouro se encontra lá dentro da pessoa, e é lá onde você deve chegar para, finalmente, confiar nelas.

Lembre-se: antes de entregar sua confiança a alguém, e antes de criar expectativas, estude a pessoa, analise-a cuidadosamente. O segredo se encontra nos pequenos detalhes que você, sem querer, acaba ignorando.

_______________

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Karen Cantú Q on Unsplash





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.