As emoções e a influência no corpo

Lembro-me de que uma querida amiga me apresentou um livro de uma escritora e foi devido à leitura daquele livro, e dos contatos com os ensinamentos dela, que conheci as palavras “metafísica”, “medicina chinesa”, “filosofia oriental”, “medicina egípcia” e tantas outras.

Confesso que tudo aquilo era muito novo para mim e começou a acender a minha curiosidade.

Não tenho formação em psicologia ou qualquer outro ramo da medicina ou da saúde, mas me interessei bastante.

A base de todo o entendimento sobre o corpo físico é que ele pode sofrer, perecer ou ter muita saúde dependendo do estado das emoções a que é submetido.

Segundo a autora do livro, o corpo se modifica em tamanho, largura, espessura, altura e silhueta tanto em músculos e células, quanto em ossos e articulações, no todo ou em parte, inclusive quanto a doenças, dependendo do estado comportamental, mental e emocional do indivíduo.

Meus conhecimentos sobre o assunto ficaram cada vez mais consolidados, pois pessoalmente há um grande interesse, já que no ano de 2007 sofri com uma doença grave, um tipo de câncer que poderia me levar à morte. Então, depois disso, qualquer assunto que me leve a ter maiores conhecimentos sobre a saúde física e mental me atrai a atenção.

Naquela época eu queria muito entender o porquê da manifestação de uma doença no meu corpo. Não me conformava com a simples explicação de que “aconteceu, são coisas da vida que temos que aceitar”.

Até me lembro de uma tia minha ter me dito uma frase que me deixou muito brava na época. Senti-me ofendida e nem queria mais falar com ela (por ignorância minha, literalmente). Como ela poderia me dizer uma coisa daquelas, na minha condição (de vítima) num hospital?! Que absurdo! (risos).

Depois disso, li e assisti muito material ligado a esse assunto que me tirou da zona de conforto e me fez buscar mais e mais.

Enfim, hoje tudo o que aconteceu faz todo o sentido para mim, eu sei que as doenças e todas as manifestações de saúde são decorrentes das emoções que sentimos ou provocamos ao longo da vida. Veja que, no meu caso, vivia uma mágoa constante, nutrida contra uma pessoa que eu acreditava que me fazia mal, mas que na verdade eu mesma estava me mutilando por puro desconhecimento da vida, de como as coisas funcionam.

Aconteceu e eu aprendi muito com isso, foi doloroso, minha família sofreu demais, minha mãezinha ficava ao lado da minha cama o tempo todo me observando.

Hoje me sinto uma vitoriosa por diversos motivos. Eu venci aquela doença e muitas outras dificuldades ao longo da vida, pois resolvi buscar conhecimento.

Agora, o fato é que o recado que quero passar nessas breves linhas é: “Devemos cuidar das nossas emoções e do nosso corpo, em cada detalhe, observando as suas necessidades, cuidando para que nada de ruim acesse a nossa mente e que possamos nos blindar, de forma que possamos selecionar o que entra e o que sai.”

Lembre-se de que alimento não é só relacionado à comida, ao que se ingere pela boca. Alimento pode ser o que você assiste, o que ouve, pessoas que se relacionam com você, os exercícios com o corpo e tudo ao seu redor.

Então, aprenda mais e mais, para poder fazer boas escolhas e alimentar o seu corpo e sua alma somente com coisas boas! Saúde!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: fizkes/123RF Imagens.



Deixe seu comentário