publicidade

As pessoas partem para a ignorância, quando não aceitam que estão erradas!

Quando uma pessoa não tem argumentos para uma conversa, ela tenta desmerecer e ofender as pessoas que sabe serem melhores do que ela.



Partir para a ignorância é um hábito das pessoas que não sabem argumentar com as outras. E essa realidade, infelizmente, está cada vez mais presente em nosso cotidiano. É comum, por exemplo, ver nas redes sociais pessoas que trocam ofensas e xingamentos e, por não conseguir se acertar, utilizam fatos, provas de que sua opinião é correta.

O mesmo ocorre em nosso círculo de amizades ou mesmo no ambiente de trabalho. Quantos colegas ou amigos já não deixaram a civilidade de lado e partiram para a briga, por exemplo? Vários. Se observarmos com bastante atenção, sempre há à nossa volta pessoas perdendo as “estribeiras” e partindo para a ignorância.

Esse é um hábito comum que, além de ser facilmente identificado em nosso dia a dia, também é objeto de estudo de muitos pesquisadores. Tentar desqualificar os outros por não ter argumentos sólidos é um comportamento típico ad hominem.


Esse conceito designa justamente as pessoas que optam por atacar as outras em vez de usar informações, dados, fatos que corroborem sua opinião.

É um hábito comumente visto no campo político, por exemplo, quando lados opostos vivem trocando farpas em vez de chegarem a um consenso sobre quais são os prós e os contras da forma como pensam ou da ideologia que defendem.

Agindo dessa forma, essa pessoa está tentando se sentir superior à outra, mesmo sabendo que na prática ela é quem não foi capaz de convencer o outro sobre a sua forma de agir e pensar. Quando sentem que estão “perdendo”, essas pessoas tentam humilhar, insultar, e são até capazes de “jogar” na cara dessa pessoa os erros que ela tenha cometido no passado.

Não é incomum, por exemplo, ver esses indivíduos ignorantes atacando características que não têm nada a ver com uma discussão, como a sexualidade, o porte físico ou hábitos pessoais do seu rival. Eles agem dessa forma na expectativa de desqualificar a autoridade de alguém que inegavelmente é melhor do que eles.


Sua principal intenção é desacreditar quem defende uma ideia, mudando o foco da atenção para qualquer outro aspecto irrelevante que nada ou pouco tem a ver com a situação em discussão.

O principal problema desse assunto é que, embora nos achemos racionais e sensatos, na prática, somos vulneráveis ​​ao conceito ad hominem, segundo os pesquisadores da Montana State University.

Eles descobriram que ataques ad hominem, ou seja, grosseiros, sem fundamento, têm o mesmo impacto em nossas opiniões que ataques baseados em argumentos lógicos e científicos. Esse é um tipo de comportamento que põe em risco a nossa capacidade chegar a um consenso sobre os mais diversos assuntos e, consequentemente, aumenta a polarização de ideias que já existe em nossa sociedade.

Por isso os pesquisadores sugerem uma atitude simples, mas eficaz: deixar de lado pessoas e atitudes que nos façam perder a paciência e partir para a briga ou ataque pessoal.

Devemos evitar discutir com pessoas que não sabem argumentar e, se nós mesmos não queremos deixar a racionalidade de lado e partir para a ignorância, precisamos parar para refletir e encerrar essa discussão.

Você também concorda que partir para a ignorância é uma atitude de pessoas que não sabem argumentar?

Deixe a sua opinião e não se esqueça de compartilhar este artigo nas suas redes sociais.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.