3min. de leitura

AS QUALIDADES QUE VEMOS NOS OUTROS É PORQUE AS TEMOS MUITO MAIS EM NÓS!

Será que a beleza sabe que é bela?
Acredito, que ela sempre preferiu olhar pra fora… Talvez, nunca saiba de sua grandeza, de sua alma pura e de seu olhar atento.
Olhando para fora, ela não reconhece seu interior, e quando lhe contam suas qualidades, ela simplesmente ignora, pois não as reconhece em si.
Passa seus dias a procurar fora o que está dentro… Como todos nós, procuramos fora o mais genuíno que temos. E assim, vivemos procurando espelhos que possam nos refletir.
As qualidades que vemos nos outros, é porque temos muito mais em nós… É fato!


E como perceber isso?!

Vivemos como se fossemos cegos, somos incapazes de ver com os olhos da alma…

Queremos mais e rápido. Apuramos processos. Queremos sentir, e não degustamos, não sentimos nossas emoções, não exploramos nossas sensações…


No que acreditamos mesmo? O que é nosso, e o que é do outro?

Perder-se também é caminho… E assim, vivemos como se num labirinto, perdidos entre o que somos e o que queríamos ser. Cegos de nossas emoções, de nossas percepções… Será que fazemos isso para evitar a dor?!


A dor também tem sua beleza. E quem já a viveu, não tenho certeza se sabe disso…
Digo viver, de verdade, olhando nos olhos, encarando com ódio nos olhos da dor. Raiva de seus jogos e artimanhas. Raiva de suas consequências…

Tem quem procure beleza no caminho.

Eu procuro nas pessoas, procuro em seus olhos, em sua alma, no silêncio do que não foi verbalizado. Procuro nos gestos, nas atitudes, na correria do dia a dia. Procuro nos dias de chuva, no avesso do perfeito…
As flores do caminho já são conhecidas, seja pelo seu perfume, seja pelo seu colorido. Não necessitam de mais reconhecimento, eu acho.

A beleza, pra mim, como diz aquela música  está no amor de  “um pescador que se encanta mais com a rede que com o mar”. Está no processo de descobrir, de autoconhecer-se.
Assim, pra mim é a beleza, um amor como jamais poderia… E se soubesse como encontrar, cegaria de tamanho fascínio frente ao esplendor de todo o seu ser.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.