As soluções só aparecem quando estamos lúcidos. O bom humor é essa luz

26/07/2012 – O medo e o bom humor

Era uma vez uma aldeia longínqua da capital, onde havia um homem considerado sábio e até capaz de prever o futuro. Milhares de pessoas, em condição de miséria de todos os tipos, afluíam ao encontro dele para saberem se o futuro que lhes aguardava era promissor.

A essa pergunta ele respondia com outra pergunta:

– Qual tem sido o seu sentimento predominante? Invariavelmente, as respostas convergiam para o MEDO.

Ele então finalizava a consulta dizendo:

– O seu futuro é promissor, mas tem um inimigo mortal que o persegue e que está sabotando a sua prosperidade. Enquanto você não o eliminar, as coisas não ficarão como você quer. Medite o mais que puder e, se depois disso, você achar que minhas palavras fazem algum sentido, volte daqui a dois sábados, ou o mais cedo possível”. Ao chegarem, as pessoas eram conduzidas a um enorme espaço aberto onde permaneciam equidistantes entre si mais ou menos uns dois metros. Orientadas por ele, deitavam no chão e começavam a fazer respiração diafragmática e, aos poucos, transformavam essa respiração em gargalhadas. Depois de meia hora eram solicitadas a ficarem em pé e, uma a uma, eram instruídas a gritarem individualmente, em poucas palavras, o sentimento ou emoção que as afligia.

Quem estivesse ao longe ouvia uma pessoa gritando desesperadamente, seguida de muitas gargalhadas coletivas.

Por exemplo, alguém gritava: “Eu estou sentindo muito ódio de fulano”. Em seguida, centenas de pessoas gargalhavam. E assim, uma a uma berrava seu problema e todos gargalhavam. No começo, isso era meio constrangedor para alguns porque sentiam que quem gargalhava estava fazendo pouco caso do problema exposto. Mas, depois de um tempo, essa sensação desaparecia, porque todo mundo estava fazendo isso com todo mundo e acabava sendo muito engraçado.

O riso coletivo ia curando um por um. Depois de umas duas horas, cada pessoa já tinha gritado algumas vezes o seu problema e gargalhado o suficiente para aprender o principal.

Ao final o homem dizia: – Você precisa aprender a rir ESTANDO com o seu problema, e ver que não é o único a sentir medo, raiva, mágoa, ódio, tristeza, desesperança e ressentimento. O que vocês acabaram de fazer aqui não foi derrotar o medo, nem o ódio, nem a raiva, nem a mágoa, nem a tristeza, nem a desesperança e nem o ressentimento.

Eles continuarão batendo na sua porta pelo resto das suas vidas, mas só entrarão se vocês voltarem a se deixar massacrar pelo MAU HUMOR.

O mau humor é o maior provedor de todas as nossas mazelas. Muito do seu futuro é construído a partir do mau ou do bom humor”.

As soluções só aparecem quando estamos lúcidos. O bom humor é essa luz.

O bom humor é cultivável e curador. Desenvolva e pratique.



Direitos autorais da imagem de capa: wallhere / 1325399



Deixe seu comentário