As suas escolhas te levam à felicidade que você busca?

6min. de leitura

Enquanto respiramos, estamos buscando. Buscando a vocação, a satisfação pessoal, a paz espiritual, o amor, a vida perfeita.



Quase todos estão em busca e boa parte já até conquistou algo que julgava importante, mas dificilmente deixou a busca de lado. Somos ansiosos, quase que por natureza, pois nascemos com a pressão e obrigação de nos tornar grandiosos.

O problema é que, mesmo que inconscientemente, em boa parte das vezes, relacionamos a grandiosidade ao que é material. Crescemos absorvendo modelos de sucesso pautados em riqueza, bens, status, fama e poder; seja pela televisão, mídias sociais, pela educação que recebemos, em casa ou fora dela. Basta ver que há crianças e adolescentes que nascem predestinadas a serem médicos, advogados ou engenheiros; cada vez mais empresários de sucesso ganhando milhões de seguidores, ensinando táticas mirabolantes para enriquecer; e inúmeras pessoas se endividando para ter o carro do ano ou suposto o melhor celular do mercado.

Não me leve a mal: acredito sim que todos nós precisamos de sonhos e ambições. A busca é necessária, pois nos mantém ativos, motiva-nos a trabalhar, aprender e estimula nossa criatividade, à medida em que somos incentivados a encontrar meios e alternativas para atingir nossos objetivos. O ponto é: nem toda busca é saudável. Estamos buscando o que queremos e sonhamos de fato, ou o que somos levados a querer?

Estamos aproveitando a viagem ou simplesmente pensando no destino final?

Você provavelmente deve conhecer alguém que nasceu com um talento especial, mas abriu mão dele porque não era “rentável”. Ou alguém que passa o ano todo reclamando do trabalho e esperando as tão sonhadas férias, num ciclo infinito onde só se é feliz em 8% do ano. Sem hipocrisias, todos nós precisamos de dinheiro.


Mas o que é isso que tanta gente está buscando, que exige que se sacrifiquem desde sempre e quase nunca aproveitem o momento?

Há também pessoas que se mantém por anos em relacionamentos abusivos e desgastantes por vaidade ou para manter aparências. Sem falar dos que já iniciam relacionamentos “amorosos” por interesses materiais. E aqueles que nunca estão satisfeitos com o que têm em sua vida (sejam pessoas ou coisas materiais) e têm a necessidade de estar buscando algo diferente a todo momento. E muitos outros exemplos no nosso cotidiano, de pessoas que acreditam estar buscando a felicidade, quando, na verdade, estão remando na direção contrária.

Não é à toa que cada vez mais pessoas sofrem de ansiedade, depressão, estresse, irritabilidade: estão buscando cada vez mais coisas de que, muitas vezes, não precisam, para suprirem necessidades que na verdade não têm, mas acreditam ter. Quando conseguem o que querem, partem para a próxima busca sem aproveitar a alegria da conquista anterior. E os que não conseguem conquistar coisas, muitas vezes se frustram ao ver as conquistas dos demais, acreditando ser inferiores por não ter conquistado algo de que, muitas vezes, também não precisam.


Pode parecer confuso, mas em resumo, é preciso concentrar nossa busca no que é essencial. Nossa busca é a nossa trajetória, e o essencial é o que você realmente precisa para ser feliz.

Faça um teste: pense no seu dia a dia e nos seus maiores sonhos e objetivos de vida, seja a curto ou longo prazo. Em seguida, reflita sobre as seguintes afirmações:

1. O que eu busco é algo que me trará bem-estar. Não fui induzido(a) a pensar que isso era importante.

2. Minha busca está me tornando (ou pode me tornar) alguém melhor ou está auxiliando (ou pode auxiliar) alguém a ser melhor.

3. O que eu faço para alcançar as coisas que busco, na maior parte do tempo, não prejudica minha saúde física e emocional.

4. Sinto que ano após ano, estou adquirindo bons aprendizados.

5. Não costumo sentir-me frustrado(a) ou desanimado(a) com meu estilo de vida e escolhas que fiz.

Discorda de uma ou mais afirmações?

Talvez seja a hora de repensar sua caminhada. A busca saudável é aquela em que somos coerentes com nossa essência e nossas reais necessidades, não aquela que nos coloca constantemente em situações de negatividade.

Lembre-se de que somos o que somos e estamos onde estamos com o objetivo de aprender, ensinar, evoluir e ser felizes. Boa sorte na sua busca!

_________

Direitos autorais da imagem de capa: dolgachov / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.