ColunistasRelacionamentos

Às vezes, a gente se apaixona pelo que criou, não pelo que verdadeiramente é.

As vezes a gente2 site

Quantas vezes mentimos para nós mesmos, querendo que aquela situação, aquela relação dê certo? Fechando os olhos para pequenos detalhes, dizemos “ah tudo bem”, mesmo quando não está.



E quando esses detalhes começam a nos ferir e, principalmente, à nossa identidade?

Quando deixamos de nos ver como verdadeiramente somos na nossa essência?

Quando começamos a terceirizar o nosso amor?


A colocar a nossa vida na mão de outra pessoa, ferindo a nossa alma?

Numa relação onde mais se chora do que se sorri, há algo disfuncional! Preste atenção nos sinais.

Você não merece uma relação indigna. Você merece muito mais!

Sejamos verdadeiros com nós mesmos, com o nosso coração, com a nossa identidade.


Às vezes, nós nos relacionamos com pessoas feridas emocionalmente, e nós também temos as nossas dores. Muito cuidado neste momento!

Não entre em uma relação achando que você vai mudar a pessoa. Preste atenção nas repetições de padrões dos relacionamentos e tire as lições de cada relação para seu crescimento e fortalecimento, pois em cada momento difícil, existe uma pérola de sabedoria para ser extraída, tire a pérola deste momento, pois enquanto você não extrai-la, a situação vai se repetir.

Não minta para si mesmo, seja verdadeiro. E ser verdadeiro, às vezes, dói, pois muitas vezes temos que abrir mão de uma relação onde a verdade não é a que se criou. A carência faz a gente ver amor onde não tem.

Às vezes, é preciso silenciar a mente e o coração, e recomeçar. Refazer-se. E é lindo quando a gente começa a se redescobrir de dentro para fora, não de fora para dentro, onde procuramos sempre no externo a solução dos nossos problemas das nossas dores.


A gente não precisa de validações externas para provar algo a alguém. A sociedade a família cobra de nós casamento, filhos, um bom emprego. Mas qual é o preço que você está pagando por mergulhar em uma relação onde a pessoa lhe fere emocionalmente?

Um conselho: quando você estiver em uma relação pergunte se a relação que você vive é a relação que você gostaria que uma filha ou um filho seu vivesse!

Em uma relação é preciso troca, é preciso ouvir, é preciso ter calma e paciência, mas acredito, principalmente, em valores alinhados.

A pessoa que você se relaciona tem os mesmos valores que os seus? Tem pelo menos algum sonho parecido com o seu? Ou ela boicota seus sonhos e suas vontades? Ou você se boicota, fazendo de conta que “tudo bem, sonho somente os sonhos dele”.


Mais uma vez, preste atenção nos sinais. Preste atenção se realmente vale ficar em uma relação por carência, e eu sei que você sabe a diferença de amor e carência.

Acalme e escute o seu coração. Você veio a este mundo para viver o melhor, não aceite menos que isso.

Deseje e se relacione com alguém que sonhe seus sonhos, que se interesse por seus planos, que o (a) ouça, respeite, respeite a sua identidade, e que o (a) ame pelo que você é em sua essência, que demonstre interesse pelas coisas que você gosta, que seja uma troca de crescimento e amor para os dois.

Ame-se para depois amar verdadeiramente outra pessoa. Tenha uma relação de amor consigo mesmo, pois você sempre será a sua melhor companhia! Ame cuidar de você, desenvolva uma linda relação consigo. Você vai conviver muito tempo com você, seja seu melhor amigo (a)!.


A gente atrai o que transmite. Lembre-se sempre: seja você o grande amor da sua vida, seja luz por onde você for!

_________

Direitos autorais da imagem de capa: yeko / 123RF Imagens


Antes de abrir as portas do seu coração, ouça o que ele tem a dizer!

Artigo Anterior

Feliz natal! glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.