publicidade

Às vezes, ir embora é a decisão mais certa para você

Por um momento eu me questionei: como pode ser amor se estou abrindo mão? Como posso amar alguém se preciso ir embora? 

A resposta veio quando olhei para o espelho e para dentro de mim.



A gente vai embora não por deixar de amar alguém, mas para não perder o amor por nós mesmos.

Ninguém dorme amando alguém e acorda deixando de amar. A distância, a falta, a irresponsabilidade, tudo isso machuca. Essas coisas afastam o amor e aos poucos ele se transforma em algo que não vale mais a pena sentir naquela relação, com aquela pessoa.

Então, você parte, mas não por essa ser a sua vontade, e sim, por parecer ser a coisa mais certa.


É que quando você descobre a leveza que o amor é capaz de proporcionar na sua vida, de dentro fora do seu corpo, você entende que não precisa se submeter a qualquer relação que lhe tire a paz.

E é por isso você vai embora, mesmo amando.

E é assustador quando chega o momento em que você percebe que não ama mais aquela pessoa que, por tanto tempo, achou que fosse o amor da sua vida. Ou pior, que ainda ama, mas não dá mais.

É incrível como as coisas mudam, como o amor muda, nem sempre a gente fica com ”o amor da nossa vida”, um dia a gente percebe que amores da vida não doem.


E você vai entender o significado do amor quando precisar recolher o seu e seguir a sua viagem. Sozinho. Mesmo sem deixar de querer, mas precisar não querer mais, porque dói ficar, dói querer, dói continuar amando aquela pessoa.

A  dor de partir parece melhor. E, às vezes, é.


Direitos autorais da imagem de capa: wallhere.com / 810473

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.