2min. de leitura

Às vezes, não dá para chamar de amor, nem paixão, mas, talvez, vontade…

Vontade de conhecer a sua história, de saber o que provoca o seu melhor sorriso, vontade de descobrir os seus medos, segredos e abismos. 

Vontade de saber o que o encanta, roubar um beijo inesperado, envolver-me no seu cheiro, perder-me no seu abraço, por alguns segundos, minutos ou, quem sabe, por uma vida inteira?


Não precisa me prometer a eternidade, só me prometa estar presente em cada momento, de corpo, alma, espírito, mente e coração.

Dê-me o seu melhor, ainda que seja somente por um flash de tempo.

Vamos viver o agora, porque nossa certeza é no hoje, e a nossa garantia encontra-se toda e unicamente em cada instante, cada momento vivido.


Ah, e se eu puder fazer um pedido, peço-lhe  um pouquinho do seu tempo, da sua atenção e quem sabe o que pode acontecer, se a gente apenas se permitir conhecer melhor. 

Sou amante da intensidade, da verdade, das vulnerabilidades, por isso vamos nos poupar das promessas vazias, vamos evitar as tentativas frustradas de impressionar pela beleza, sem futilidades, desculpas ou expectativas exageradas e irreais.

Vamos apenas ser e viver, do jeito que somos e podemos.

Vamos conquistar com a essência, e não pela aparência, vamos fazer amor com a alma, vamos falar tudo com o olhar.


E se tiver o poder de fazer mágica, primeiro entre no meu coração para depois tocar meu corpo.

___________

Direitos autorais da imagem de capa: joseasreyes / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.