Comportamento

Ataques xenófobos a Paola Carosella são a prova de que o brasileiro ainda tem muito a evoluir!

Foto: Reprodução
capa Ataques xenofobos a Paola Carosella sao a prova de que o brasileiro ainda tem muito a evoluir

A chef tem sido atacada por manifestar suas opiniões políticas.

A política tem o poder de dividir a população brasileira em grupos e, muitas vezes, de despertar o nosso pior lado. Apoiadores da direita e da esquerda vivem em pé de guerra, e quando estamos em ano de eleição, o clima pode esquentar de verdade.

Na era da internet e das redes sociais, onde todos temos mais liberdade para compartilhar ideias políticas e criticar quem pensa diferente, não é raro ver pessoas abusarem das palavras e ofenderem amigos e familiares.

De fato, muitos de nós até mesmo rompem os laços com pessoas que ao nosso ver estavam sendo desrespeitosas e ofensivas por estar em um lado oposto ao nosso.

Recentemente, a chef de cozinha Paola Carosella, que é da Argentina, mas vive no Brasil há mais de 20 anos, enfureceu muitos brasileiros ao comentar sobre suas opiniões políticas durante uma entrevista.

Convidada no podcast “Diacast”, ela estava falando sobre como conviver com eleitores de Jair Bolsonaro e deu uma declaração polêmica: “Fica muito difícil de se relacionar com alguém que ainda [apoia Bolsonaro]. Por dois motivos: ou porque é um escroto ou porque é burro”.

Confira a entrevista na íntegra: 

Não demorou muito até que os apoiadores do atual Presidente da República ficassem sabendo de sua fala e resolvessem se manifestar nas redes sociais.

“Paola sempre foi essa mulher nojenta que vivia dando lição de moral nos participantes do programa Master Chef… Mas que exemplo de mau caratismo, dona Paola… Volta para a Argentina, que se tornou um país falido por ser comandado por um governo de esquerda! #PaolaVoltaPraArgentina”, escreveu um usuário do Twitter.

“Paola volta para a Argentina e abra um restaurante no seu país, onde o comunismo impera e você vai se dar bem com sua ideologia Barata”, comentou outra pessoa. “Por favor Paola, volta para a Argentina e para de se meter com o nosso país”, adicionou uma terceira. Isso além de frases como: “quem lacra não lucra”.

Algumas pessoas ainda ofenderam a chef de forma pessoal por coisas que nada têm a ver com seu posicionamento político.

Essa não foi a primeira vez que Paola viveu esse tipo de situação. Em 2019, a argentina também sofreu ataques semelhantes ao se posicionar contra a liberação de novos agrotóxicos pelo governo federal.

2 Ataques xenofobos a Paola Carosella sao a prova de que o brasileiro ainda tem muito a evoluir

Direitos autorais: Reprodução Instagram / @paolacarosella

Analisando esse cenário de preconceito, a lição que fica para todos nós é que o brasileiro ainda tem muito a aprender. Embora as palavras da chef talvez não tenham sido as mais adequadas nessa situação, e ninguém gosta de ser tachado de “burro”, preconceito é algo muito sério, um crime.

Sabemos que o assunto política não deixará de ser polêmico tão cedo, mas precisamos refletir sobre a maneira de nos manifestar quando debatemos um assunto tão sério como esse.

Paola Carosella, como cidadã brasileira, tem o direito de expressar sua opinião política, assim como qualquer um de nós, e a xenofobia não é a resposta ideal para nenhum problema.

3 Ataques xenofobos a Paola Carosella sao a prova de que o brasileiro ainda tem muito a evoluir

Direitos autorais: Reprodução Instagram / @paolacarosella

Repercussão do caso

As pessoas que se revoltaram com as falas de Paola se uniram para avaliar o seu restaurante Arturito com uma nota baixa, o que fez com que a avaliação do local despencasse para 1.6 no Google.

No entanto, mesmo com esse ato de protesto, o restaurante que fica em Pinheiros, na capital paulista, estava lotado em pleno almoço do dia 24. Nessa data, a fila de espera para uma mesa de duas pessoas chegava a 40 minutos, às 12h30, e as reservas para sexta, sábado e domingo já estavam esgotadas.

0 %