6min. de leitura

Atendimento espiritual com auxílio de extraterrestres:

Dia: 19 de Julho de 2014 – Horário: 19h40 – Local: Atendimento extra fora do horário normal da reunião – São Paulo – SP

10h30 – A reunião habitual de sábado terminara, todos ainda em clima de excitação e ansiosos para trocar experiências entre os participantes quando o telefone toca.


Era Djair, um amigo muito querido da nossa dirigente, que, por vezes, sumia sem dar notícia e aparecia depois de meses, como se nada tivesse acontecido.

Djair é uma pessoa fantástica, homem de sessenta e poucos anos, solteiro, cheio de manias e ama sua profissão de taxista. Durante muitos anos, Djair foi um trabalhador assíduo do centro, mas após seu pai falecer, ficou descrente do espiritismo e afastou-se. Embora todos nós tentássemos ajudar, ele permaneceu irredutível, vinha nos visitar uma ou duas vezes por ano.

Nessa última ligação, porém, a notícia que trazia não era das melhores, estava com problemas de saúde, um dos rins já não funcionava e o outro estava comprometido, fora o stress mental em função do trabalho de taxista em dois turnos; vivia à base de remédios para dormir.


Após alguns minutos de conversa, nossa Dirigente explica a situação e nos comunica que ele precisava de ajuda. Infelizmente, só poderia chegar às 18h00. Ela nos pergunta se estaríamos disponíveis para  trabalhar esse horário. Djair é daquele tipo de pessoa que não acredita na espiritualidade, mas quando a coisa aperta, vai atrás.

Eu me coloquei disponível para o trabalho. O marido da dirigente, Wilson, chegaria ao mesmo horário de Djair e como sempre se prontificou para o trabalho. Estamos pronto para ajudar e ficamos preparados para qualquer tipo de surpresa que pudesse acontecer.

19h00 – Nada de Djair, nenhuma surpresa para quem já o conhecia, famoso por suas longas conversas e também pela sua falta de pontualidade.


19h20 – Djair toca a campainha, após uma breve e perturbadora conversa, descobrimos que o médico havia-lhe dado mais 6 meses de vida. A história já começava a ficar difícil. Após todos os preparativos, começamos o trabalho.

Wilson, após a prece inicial, incorporou um espírito de extraterrestre. Uma característica de sua mediunidade é ter sintonia com esses seres.

Nesta noite, em particular, vinha um ser que nunca tinha visto antes. Era uma das formas astrais mais lindas e interessantes que já tivera a oportunidade de ver. Era um ser formado por códigos e impulsos eletromagnéticos que percorriam todo seu corpo lembrando o filme Matrix. Ele possuía nos locais dos Chakras estrelas que enviavam de forma viva códigos para todo seu corpo astral, um show de luzes para quem podia ver através da clarividência.

Foi pedido a Djair  que deitasse no sofá, enquanto ele fechava os olhos e relaxava. Wilson, em sintonia com o E.T., começava o processo. A primeira coisa que fez foi expandir uma cópia do cérebro de Djair em uma espécie de holograma sobre sua cabeça. Pude perceber, nesse holograma, que várias partes do cérebro de Djair estavam apagadas. Ao lado surgiu um tubo de luz com um código de DNA Com as mãos o extraterrestre movimentava alguns diagramas com formas hexagonais que lembravam membranas celulares. O extraterrestre me perguntava mentalmente se eu o estava acompanhando. Eu estava mais assustado do que presenciando, pois era fora do que eu chamo de padrão de trabalho mediúnico. Djair, nessa hora, encontrava-se dormindo profundamente no sofá, ressaltando que ele nunca sentira absolutamente nada durante todos os anos de trabalho no centro.

Após alguns minutos, todo esse esquema de códigos, DNA e luzes foram se incorporando ao perispírtito de Djair.

Após o trabalho, o espírito desapareceu, e encerramos e agradecemos a ajuda do mentor extraterrestre.

Djair continuava dormindo. Tentamos acordá-lo, mas ele parecida sedado. Após 5 minutos, ele acordou mas não conseguia se mover e não sentia as pernas; estava sonolento. Nosso amigo Djair voltou a estar em condições de dirigir apenas às 00:30hs.

Ele disse que sentiu como se tivesse sido operado, a mesma sensação da volta de uma anestesia.

Debatemos sobre as percepções, pois nunca tínhamos presenciado algo assim. Os Extraterrestres que normalmente trabalham com o grupo, sempre trabalham com cura quântica, indo a partículas mínimas e reestruturando tudo, causando mudanças de padrões nas pessoas assistidas, vibrando a nível planetário, pelo bem a nível micro e macro.

Como Djair é de sumir e não avisar, até hoje não o vi mais, mas tive notícias de  que estava vivo e bem em dezembro de 2015.

Tive outros trabalhos com a participação de extraterrestres que vou contar posteriormente.

Temos que abrir nossa mente e nos livrar dos preconceitos para permitir o auxílio desses mentores que vêm para nos expandir a consciência e nos mostrar uma nova forma de ver a humanidade e nosso planeta.

Nosso somos todos um, irmãos de alma; ferir o outro é ferir a si mesmo, curar a si mesmo é curar o outro.

Gratidão pela oportunidade, sempre!

Luz e paz para todos!





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.