Notícias

“Aterrorizante”, diz mulher que quase foi dopada por motorista de app

aterrorizante

Uma gaúcha de Canoas quase teve um destino trágico após pedir uma corrida pela Uber.



Em um vídeo divulgado via Instagram, a gestora de turismo Duda Bassani contou com detalhes sua experiência com um colaborador da empresa, que, de acordo com a vítima, tentou dopá-la para estuprá-la.

Ainda segundo o relato, o motorista ofereceu um produto que, conforme sua explicação, poderia desengordurar sua tela de celular. “Ele me falou que tinha um produto, que era um desengordurante para tela de celular e para óculos. Perguntou se ficava muito marcada a minha tela e, tudo mais, e pediu para que eu experimentasse no celular”, conta Bassani.

Ela, que voltava do trabalho para a casa, disse que o rapaz ainda insistiu para que ela sentisse o cheiro de perto. Foi quando Duda começou a ficar tonta e perceber que aquilo caminhava para um golpe.


“Falei que não tinha sentido, então ele pegou o pano de volta e pingou bem mais líquido e pediu para eu cheirar. Cheguei a levar o pano até o nariz. Estava de máscara. Começou a ficar tudo preto e ele falou: ‘tira a máscara para sentir de perto e ele trancou as portas bem nessa hora.”

Mesmo assim, a gestora de turismo relata que conseguiu destravar e se jogar para fora com o carro em movimento – algo extremamente perigoso. Ela revela ainda que contou com a ajuda de dois homens em um caminhão para voltar para a casa. “Foi aterrorizante”, relembra. “Desesperador”, prossegue.


 



View this post on Instagram




 

Uma publicação compartilhada por Duda Bassani 🦋 (@bassani_duda)

“Nós já sabemos o nome completo, as informações, mas a empresa negou. Como uma empresa que levanta uma bandeira de proteger a mulher quando tem a oportunidade de fazer algo, fazem isso: falam que simplesmente não pode dar o nome da pessoa”, explicou.

“Graças a deus eu sobrevivi a isso que aconteceu e deu tudo certo e tive coragem para ir lá e denunciar”, concluiu. O caso atualmente está em investigação na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher, sob responsabilidade da delegada Clarissa Demartini.

Uber responde

Em contato com Vogue Brasil, a Uber afirmou que “repudia qualquer tipo de comportamento abusivo contra mulheres e já está em contato com as autoridades para colaborar com a investigação, nos termos da lei. A empresa acredita na importância de combater, coibir e denunciar casos de assédio e violência. Este tipo de comportamento configura violação ao Código de Conduta da Comunidade Uber e a conta do motorista foi desativada da plataforma assim que a empresa tomou conhecimento do episódio.”


Se você presenciar um episódio de violência contra a mulher ou for vítima de um deles, denuncie o quanto antes através do número 180, que está disponível todos os dias, em qualquer horário, seja através de ligação ou dos aplicativos WhatsApp e Telegram.

São Paulo é eleita melhor cidade do mundo para paquera, segundo revista britânica

Artigo Anterior

Nora de Tarcísio sobre os 2 meses sem o ator: “O amor nunca morre”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.