Autocontrole: requisito para ser feliz!

Observo nos últimos anos como é crescente, no mercado editorial e na lista dos best-sellers, o número de livros direcionados ao nosso autodesenvolvimento – um claro sinal de que a Humanidade está se empenhando mais na busca do equilíbrio e de recursos para o seu crescimento integral.

E, neste campo do aprimoramento humano os autores são unânimes ao afirmarem que um dos requisitos básicos para o triunfo e a felicidade é o autocontrole – que tem tudo a ver com a arte da boa convivência.

Para que você consiga efetivamente manter um controle sobre seus pensamentos e suas atitudes, é preciso primeiramente que você tome consciência da sua forma de agir, principalmente diante dos inúmeros “nãos” que o mundo lhe oferece.

Se você é uma pessoa que não aceita um “não” como resposta, está na hora de rever seus conceitos, porque, certamente, nestas situações, você se torna impulsivo, agressivo e altamente antipático. E quem vai querer ser companheiro de alguém tão imprevisível e desagradável?

Ninguém, e muito menos a Prosperidade – que mantém distância das pessoas negativas e revoltadas.

Por isso, é hora de olhar para dentro de si e analisar o que você pode fazer para alimentar o autocontrole – dos seus pensamentos, palavras e atitudes.

Ao invés de abrir as portas do seu coração e abrigar o ressentimento e a ingratidão, reflita melhor e procure facilitar a sua trajetória para as realizações que o Universo reserva para você.

E a sintonia positiva com esta Força Superior, só você pode fazer!

Para concluir, compartilho uma história, de autor desconhecido, simples e significante:

“Havia um garotinho que tinha mau gênio. Seu pai lhe deu um saco cheio de pregos e lhe disse que cada vez que ele perdesse a paciência, que batesse um prego na cerca dos fundos da casa. No primeiro dia, ele havia pregado 37 pregos. Porém, aos poucos, o número foi decrescendo. Ele descobriu que era mais fácil controlar seu gênio do que pregar pregos na cerca. Finalmente, chegou o dia no qual o garoto não perdeu mais o controle sobre o seu humor. Então, seu pai lhe sugeriu que tirasse um prego da cerca a cada dia que ele fosse capaz de se controlar. Os dias se passaram, até que, finalmente, o garoto contou ao seu pai que não havia mais pregos a retirar. O pai, então, levou-o até a cerca e disse: ‘Você fez muito bem, mas dê uma olhada na cerca. Ela nunca mais será a mesma. Quando você profere palavras de ira, elas deixam uma cicatriz como esta. Você pode esfaquear uma pessoa e retirar a faca, em seguida, e, não importando quantas vezes você peça perdão, a ferida continuará ali… Uma ferida verbal é tão má quanto uma física. Portanto, meu filho, mantenha esta lição em sua mente antes de se irar contra alguém, ou antes de desvalorizar uma pessoa, porque na vida, para sermos felizes, o segredo é fazermos os outros felizes.’”

___________

Direitos autorais da imagem de capa: melpomen / 123RF Imagens



Deixe seu comentário