Autoestima: o fantasma da comparação



No dia de hoje, após uma rápida meditação para iniciar meus trabalhos, lembrei-me do último texto em que escrevi sobre comparação e percebi que alguns detalhes passaram despercebidos. 

Na verdade, após o mencionado texto, amanheci com uma nova consciência, talvez mais expandida. Esse é o grande objetivo da vida: expandir e crescer mais a cada dia.

Falar sobre esse assunto é muito importante para mim, pois durante muitos anos estava embriagada com o vício da comparação. Acredite, ainda me pego fazendo isso. Se eu não me concentrar em quem eu realmente sou, entro em sofrimento. Ocorre que tudo (sim, TUDO) na vida é uma escolha.

Decidi escolher, mais do que nunca, sair desse papel, e agora escrevo para você um pouco do que percebo e sinto de tudo isso.

A comparação é um fantasma que atormenta a maioria das pessoas com baixa autoestima. Ela é terrível, destruidora, malvada.

Ainda mais considerando que passamos bastante tempo em redes sociais, com o dedinho no celular stalkeando a vida das pessoas: “Olha lá fulano, na praia”, “olha lá sicrano, naquele restaurante”.

Nesse ritmo, você se compara o tempo inteiro. Você acorda e fica no celular, e vê a foto daquela “miga” que está com o rosto todo maquiado, fazendo selfie com biquinho. Você se olha toda descabelada (humana, claro) e começa a se achar “feiosa”, comparando-se com ela.

Já falei milhares de vezes para mim mesma, e demorei muito para interiorizar essa frase: CADA SER HUMANO É ÚNICO! Repita isso com o pulmão cheio: “CADA SER HUMANO É ÚNICO!”.

Consequência disso: você não consegue comparar algo que é único! Só é possível comparar coisas padronizáveis, e isso não acontece com o ser humano. Ok?! 

Outro problema da comparação é que você vincula seu valor a elementos externos. Só é possível se amar, se reconhecer, confiar em você e reconhecer o seu valor quando você olha para você, quando você se percebe único e se reconhece incrível. Só assim você consegue enxergar o seu valor. Pela comparação, você se sente bem quando se percebe melhor que o outro, e se sente mal quando se sente pior que o outro. Quando você se reconhece melhor que o outro, você sente uma pseudo confiança.

Essa falsa confiança é irreal e volátil. Você sempre vai precisar do outro para se sentir bem com você, sempre se comparando, mas isso não se sustenta, não dura.

Quando você se reconhece de verdade, reconhecendo seu valor, há a criação de uma autoconfiança sustentável, duradoura, sólida. Você passa a olhar para o outro não para se comparar, mas começa a enxergar o outro como um ser humano único, incrível – assim como você!

Aquela comparação e competitividade dão lugar à compaixão. Você reconhece seu valor, sabendo que não está vinculado ao externo. O outro deixa de ser uma ameaça e passa a ser alguém por quem você tem empatia. 

Há um segredo que preciso te contar (descobri há pouco tempo): Aquilo que vemos nas redes sociais não é real.Isso mesmo, amiguinho!

Aquelas fotos sorridentes e vidas maravilhosas não são reais.

A vida de ninguém é perfeita. Todo mundo tem problemas, momentos ruins, problemas em seus relacionamentos e trabalhos. Todos, sem exceção! As pessoas não postam isso, porque isso não ganha “likes”. Não enxergamos a verdade por trás de toda essa farsa porque fantasiamos uma vida perfeita,  mas você sabe se a pessoa ali realmente está feliz?

É como se você olhasse para a foto da pintura de Monalisa, lembra aquele sorriso misterioso? Será que ela está feliz? Será que a vida dela era perfeita? Será que o casamento ou o trabalho realmente eram como ela sonhava?



As pessoas só mostram o que elas escolhem mostrar, e todos nós temos nossos momentos de bad, sofrimento, dificuldades, todos nós temos sentimentos negativos. Mas não postamos e não falamos! Nós mentimos muito sobre isso, e fomentamos a cada dia a questão da comparação.

Pode ser que você, caro leitor, esteja lendo esse texto e pensando: “Então quer dizer que a Queli dá conta de tudo, resolve tudo e tem a vida bem resolvida?”. Engano seu! Assim como você, sou humana e tenho meus problemas, minhas questões. Sento e choro, como qualquer ser humano com dor ou raiva faz, mas não compartilho isso, pois me recolho para cuidar dos meus sentimentos, respeitando-me.

Percebo em parte de meus atendimentos que as pessoas esperam fórmulas mágicas para resolver seus problemas. Esperam que eu tenha a receitinha pronta para enfrentar qualquer situação.

Pode ser que você já tenha ouvido ou lido a seguinte frase: “Faça uma lista e tenha foco em seus objetivos, pois assim tudo sairá perfeitamente bem”. Sinto dizer: não é bem assim! Mal lidamos com nossas emoções! Como pode seguir a vida simplesmente “matando” os próprios sentimentos e emoções? É necessário olhar para dentro!

Vender uma vida perfeita, fácil e tranquila é uma ilusão, não é real. Alguém com baixa autoestima é presa fácil para esse vendedor!

Comparar sua vida com a do outro e se sentir a sombra da mosca do cavalo do bandido pode ser a melhor forma de se afundar ainda mais! 

Você leu tudo isso e tenho certeza que compreendeu racionalmente, mas aposto que ainda não é o suficiente para fazer você parar de se comparar.

Quando nos comparamos, estamos olhando para algo fictício, hollywoodiano. Então, vou propor a você agora que se compare com a Bela, do conto “A Bela e a Fera”. Pareceu ridículo isso, não é mesmo? Ela não é real, é uma fabula da Disney, não é?!

Ocorre que é, basicamente, o que fazemos quando nos comparamos a outras pessoas. Nós nos comparamos com uma fábula, uma historinha que mal sabemos dos detalhes. Compreende?

Toda vez que pensar em se comparar, lembre-se desse texto e de todas as questões racionais que coloquei aqui. Você vai se lembrar da Bela e que comparar-se a essa fábula é loucura. Entenderá também que comparar-se a outra pessoa é tão maluco quanto isso. Ok?!

Acabe com a comparação, tire isso da sua vida. Isso o impede de se amar, e de ser quem você realmente é. Compare-se a você mesmo, o você de ontem, o você do passado, com o você de hoje. Essa comparação sim é saudável, pois o ajuda a ampliar seu sentidos e níveis de consciência. 

Corra, dê um abraço bem apertado no ser humano que você é. Compreenda que é processual, e que você é único nesse mundo.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: deklofenak / 123RF Imagens






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.