3min. de leitura

Ave-Maria!

“Ave, Maria, cheia de graça.”


Aquela que encontrou graça diante de Deus, para que seu ventre escolhido abrigasse o Salvador da humanidade, Filho Unigênito de Deus.

“O Senhor é convosco.”

E assim, após um difícil período de gestação, pois tantos obstáculos foram enfrentados, o Messias, liberto do aconchego do ventre mariano, foi acolhido num mundo no qual, após muitas tempestades, o reconheceria, em grande parte, como divisor de águas, assim, “antes de Cristo” e “depois de Cristo”, e não somente como divisor de águas, mas a própria Água Viva que transbordou no passado, transborda no presente e sempre transbordará pelo futuro infinito.

“Bendita sois vós entre as mulheres.”

Embora sujeita a sofrimentos imensuráveis, como a perda do seu amado filho, de forma terrível. É bendita, pois foi escolhida entre tantas mulheres como a Mãe que gerou e conduziu o desenvolvimento do Salvador. Mulher que se tornou Mãe Celestial, advogada e mediadora da Criação Divina.


“Bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus!”

Sim, o ventre mariano abrigou o Grande Mestre, o Mestre dos Mestres. Antes, singela, mas sempre sábia criança; depois, executor de grandes milagres e conforto aos que mais necessitavam de Sua humilde, mas marcante, presença.

“Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós, pecadores.”

Como Mãe de Jesus, tornou-se a nossa Doce Intercessora, a quem poderemos pedir, em oração, por nós, pobres pecadores.

“Agora e na hora de nossa morte. Amém.”

Assim, sábia e silenciosa Mãe Divina, rogue por nós, pecadores, sempre, especialmente no agora e ainda mais profundamente no momento de nossa partida deste mundo para o outro, eterno.


 

Inspiração: “Enigma – todo começo tem um fim”, de minha autoria. Ed. Letras do Pensamento.

 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.