Comportamento

Avião da China chega ao Brasil com insumos para 8,6 milhões de doses de vacina

Aviao da China chega ao Brasil com insumos para 86 milhoes de doses de vacina
Comente!

O avião aterrissou às 23h46 (horário de Brasília) no aeroporto de Campinas, em São Paulo, com 5,4 mil litros de insumo farmacêutico ativo (IFA).

A farmacêutica chinesa Sinovac enviou ao Brasil mais de 5 mil litros do insumo farmacêutico ativo (IFA), o suficiente para produzir mais de 8 milhões e 500 mil doses da vacina CoronaVac, de acordo com o Instituto Butantan. Esse lote de insumos foi enviado à capital paulista para ser devidamente produzido.

Segundo informações do UOL, o lote será disponibilizado ao Ministério da Saúde a partir do dia 23. João Dória (PSDB), governador do estado de São Paulo, afirmou que é preciso ter rapidez em vacinar, pois apenas assim será possível sair da crise e retomar a economia.

Ainda segundo ele, para voltarmos a encontrar nossos familiares e amigos, é necessário se vacinar e, até lá, todos devem usar máscaras e evitar aglomerações, inclusive sem celebrar o carnaval este ano.

Logo após essa fala, o governador comemorou o número de vacinados no estado de São Paulo que chegava a 520 mil pessoas.

Ele explicou que o principal objetivo era chegar ao dia 8 com a meta batida de 1 milhão de vacinados, entre eles os profissionais da área da saúde, principalmente os que atuam na linha de frente, as pessoas mais vulneráveis, como os idosos, indígenas e quilombolas, além das pessoas que fazem parte do grupo de risco.

Com os dois lotes enviados pela China, poderão ser produzidos mais de 17 milhões de novas doses da CoronaVac. O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou que as doses serão disponibilizadas ao Ministério da Saúde até o início de março. O governo federal e o governo paulista, no fim de janeiro, entraram na disputa pela responsabilidade da liberação da matéria-prima para as vacinas.

Publicamente, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que já rejeitou o imunizante, agradeceu à China pela liberação dos insumos no dia 25, passando à frente de Dória na negociação. O governador respondeu no mesmo dia, chamando o presidente de mentiroso, e falando sobre a reunião com a embaixada chinesa.

O laboratório chinês Sinovac foi que desenvolveu a CoronaVac, em parceria com o Instituto Butantan, ligado diretamente ao governo paulista.

Desde o dia 17 de janeiro, a produção de novas doses da vacina estão paradas por falta de insumos, o que tem provocado lentidão na imunização da população.

A estimativa é que os 5 mil e 400 litros liberados comecem logo a ser produzidos, e que as primeiras doses saiam depois de 20 dias. Até o momento, o Instituto Butantan já disponibilizou 8,7 milhões de doses da vacina para serem distribuídas pelo Programa Nacional de Imunização (PNI) contra a covid-19.

O acordo firmado com o governo federal prevê que cerca de 46 milhões de doses sejam entregues na primeira etapa.

Comente!

Depois de superar câncer, marido de Ana Hickmann comemora: “Estou curado!”

Artigo Anterior

Cão vítima de violência move ação judicial contra agressor e “assina” processo com digital da pata

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.