Comportamento

Avó viaja 6 horas, todos os dias, para vender peixe e ajudar a pagar os estudos do neto

Caso chamou a atenção de autoridades locais, que se comprometeram a ajudar a senhora a adquirir um freezer, para que não tenha mais que se levantar todos os dias antes das 5 horas da manhã.



O cuidado com a família é algo que permeia a maioria dos lares no mundo todo. O esforço de pais, mães e avós, para que os jovens tenham uma vida mais confortável, é mais comum do que se imagina, sendo quase naturalizada a ideia de que os mais velhos se esforçam em demasia para que as futuras gerações tenham oportunidades diferentes.

É interessante observar que, majoritariamente, as mulheres são as que mais se empenham com a “economia do cuidado”. Zelar de pessoas, fazer trabalhos domésticos não remunerados e administrar tanto a casa quanto a vida da maioria dos seus moradores acabam sendo responsabilidade mais das mulheres do que dos homens.

A fronteira entre o esforço comum e o sacrifício costuma se borrar, já que as mulheres são ensinadas, desde a infância, que faz parte de sua natureza se empenhar para dar conta do máximo de tarefas que conseguem.


Mesmo depois da aposentadoria, muitas avós se comprometem, por exemplo, a cuidar de seus netos, perpetuando assim a lógica do trabalho doméstico sem reconhecimento.

Em Penang, na Malásia, um caso similar foi registrado por um fotógrafo recentemente. Todos os dias, Kak Murugamah, de 61 anos, viaja cerca de seis horas para vender peixe salgado em uma barraca, cuja renda é para ajudar a pagar a faculdade do neto.

Essa avó se sacrifica diariamente para garantir um futuro melhor ao seu descendente, sem se preocupar com o cansaço e a idade avançada.


Direitos autorais: reprodução Facebook/Lee Khai Loon.

O caso foi publicado no perfil do Facebook de Lee Khai Loon, um político local, que compartilhou a história de Kak e fotos de sua rotina. Segundo a publicação, a senhora sai de casa todos os dias, às 5 horas da manhã, para comprar o peixe que vende. Como não possui geladeira, ela precisa de muito cuidado com o produto, para que não se estrague rapidamente.

Sem ter onde refrigerar, ela compra o peixe salgado todos os dias, mesmo que em pequena quantidade.


As fotos foram feitas por Aizuddin Saad, um fotojornalista conhecido no município. Foi ele quem acompanhou Kak e soube de detalhes de sua vida, como pedalar seis horas na ida e seis horas na volta de seu trabalho.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Lee Khai Loon.

O político ficou impressionado com a capacidade da senhora de morar sozinha, trabalhar tão duro e não incomodar nenhum familiar. Ele afirmou, em sua postagem, que tinha a intenção de tentar ajudá-la a impulsionar o seu negócio de venda de peixes salgados, por isso a levou para comprar um freezer, item indispensável para guardar sua mercadoria.


Com isso, Kak não precisaria mais se levantar tão cedo todos os dias para comprar seu produto, tampouco teria receio de ele se estragar rapidamente. A avó afirmou que parte de sua renda era para ajudar seu neto a pagar a faculdade, um comprometimento natural para ela.

Direitos autorais: reprodução Facebook/Lee Khai Loon.

O político desejou, por fim, que o empreendimento da idosa prosperasse, que ela obtivesse sucesso e, assim, mais renda para si mesma e seus familiares.


Ela se esforça pela sua família!

Comente abaixo sua opinião sobre este caso e compartilhe-o nas suas redes sociais!


Mãe viralizou ao falar sobre padrões impostos pela sociedade e que “não há troféu” de melhor mãe

Artigo Anterior

Empresária arrecada cerca de R$50 milhões e compra casas para 3 mil famílias carentes

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.