Animais

Bebê abandonado em bueiro é salvo graças a miados de gatos

capa Bebe abandonado em bueiro e salvo gracas a miados de gatos

A recém-nascida foi encontrada totalmente encharcada com água do esgoto, mostrando claros sinais de hipotermia, inclusive com braços azulados.



Pesquisas mais recentes mostram que a Índia é o pior país para as mulheres viverem. Segundo levantamento foi feito pela Fundação Thomson Reuters, os principais motivos envolvem a violência sexual, o tráfico para trabalho doméstico, casamento e trabalho forçados e escravidão sexual.

Por razões culturais, as mulheres são vistas como um “fardo” para suas famílias desde o nascimento, isso porque, além de não ter muitas oportunidades de trabalho, os possíveis maridos exigem dotes altíssimos para aceitar prosseguir com os processos matrimoniais. Logo depois que saem de casa, elas passam a ser tratadas como “propriedades” de seus esposos, sofrendo, inclusive, estupro matrimonial com frequência.

Justamente por isso, infanticídio e abortos de meninas acontecem com frequência, fazendo com que autoridades precisem criar estratégias para “minimizar os danos”. Por exemplo, no país é proibido qualquer tipo de exame de sexagem fetal, mesmo assim muitos testes são vendidos no mercado ilegal.


A organização não governamental (ONG) Invisible Girl estima que, assim que uma menina nasce, ela tem 75% de chances a mais que os meninos de sofrer infanticídio. Cerca de 25% delas não chegam à puberdade, quase 30% se casam antes mesmo de atingir a maioridade e 20% são vítimas de estupro ou tentativa de estupro ao longo da vida.

A situação é tão complexa para meninas e mulheres, que muitas morrem por conta do dote. O National Crime Records Bureau declarou que, em 2012, mais de 8.200 mulheres foram assassinadas por disputas de dote, o equivalente a uma mulher morta por hora. Tais disputas já foram consideradas ilegais no país, mesmo assim continuam ocorrendo, principalmente em regiões afastadas. Se a família do noivo acreditar que o valor recebido foi abaixo do esperado, as noivas são assassinadas.

Em Mumbai, uma recém-nascida de apenas 5 dias foi encontrada em um bueiro e resgatada pelas autoridades locais. O que mais impressiona nesse caso foi a forma como encontraram a criança: graças à ajuda de vários gatos que estavam na região. Pode parecer estranho, mas essa é a verdade!

De acordo com o “Times of India”, os felinos encontraram a criança dentro do esgoto e começaram a miar o mais alto que podiam para chamar a atenção das pessoas. O escândalo funcionou, e moradores resolveram olhar o que estava acontecendo, até que encontraram a recém-nascida ainda viva dentro do bueiro, e chamaram a polícia.


A polícia de Mumbai explicou que a bebê foi encaminhada a um hospital local, está segura e em processo de recuperação, e tudo corre bem. Sem ser alimentada e encharcada de água do esgoto, o policial Sheental Sonawane explicou que ela apresentava sinais de hipotermia e estava com os braços em uma tonalidade azulada.

2 Bebe abandonado em bueiro e salvo gracas a miados de gatos

Direitos autorais: reprodução Twitter/ @MumbaiPolice

O oficial disse ainda que eles pediram aos moradores um pouco de água morna e um pano para limpar a recém-nascida antes mesmo de encaminhá-la ao hospital. Depois da rápida higienização, ela foi levada imediatamente ao hospital e agora se recupera. Encontrar a bebê no bueiro não é encarado como novidade porque, como as meninas têm mais chances de sofrer infanticídio no país, essas cenas são vistas com frequência.

A autoria do abandono não foi identificada nem os pais da criança. Dentro do processo legal do país, ela será mantida no hospital até que se recupere e, caso a polícia não encontre nenhum familiar para assumir sua guarda, ela será assistida pelo Estado até ser encaminhada para uma casa de adoção.


A pessoa certa não se importará com seus colapsos nervosos!

Artigo Anterior

“Eu sou uma mulher. Isso é intimidação.” Jogadora iraniana se defende de acusações de ser homem

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.