Animais

Bebês elefantes gêmeos nascem no Quênia em caso considerado extremamente raro

Capa Bebes elefantes gemeos nascem no Quenia em caso considerado extremamente raro

Foi a primeira vez que uma elefanta deu à luz gêmeos em décadas naquele local.

Gêmeos de elefantes africanos nasceram em uma reserva no Norte do Quênia; acontecimento é algo raríssimo! Essa foi a primeira vez em décadas que uma elefanta deu à luz dois bebês de uma vez. Os gêmeos nasceram no Parque Nacional Samburu, uma reserva de proteção à vida selvagem local. Eles são os primeiros a serem registrados na reserva desde 2006, ou seja, quase 20 anos sem elefantes gêmeos.

Gêmeos formam apenas 1% de todos os nascimentos de elefantes, já que uma mãe geralmente não tem leite suficiente para dois bebês de uma vez.

O nascimento foi uma agradável surpresa para a organização de pesquisa e proteção que cuidava da mamãe elefante durante sua gestação, a Save the Elephants, que agora está monitorando a nova família.

2 Bebes elefantes gemeos nascem no Quenia em caso considerado extremamente raro

Direitos autorais: Reprodução Instagram  / @savetheelephants.

Iain Douglas-Hamilton, fundador da Save the Elephants, disse ao portal de notícias Newsweek que é muito raro encontrar elefantes gêmeos na natureza, principalmente porque eles não costumam viver unidos por tanto tempo; na maioria das vezes, um dos irmãos morre. Como Hamilton disse, para a mãe elefante também é altamente estressante cuidar de dois bebês de uma vez na natureza.

Ele contou já ter visto vários nascimentos de gêmeos elefantes, sempre com a mesma comoção, mas no passado, os resultados não eram dos melhores, pois os filhotes sempre morriam durante o parto ou pouco tempo depois. Como estes já têm alguns dias de vida, Hamilton estava confiante em que vingariam e cresceriam juntos na reserva.

Douglas-Hamilton disse que os gêmeos apresentam um bom quadro de saúde, embora ainda sejam um pouco pequenos. Por causa da grande quantidade de chuva recentemente na área da reserva, ele continua otimista, pois a probabilidade de sobrevivência dos animais depende bastante da qualidade da vegetação ao seu redor e da saúde da mãe. Como a elefanta também estava saudável e a grama verde e fresca por causa da chuva, o homem acredita ser esse o melhor cenário para garantir a sobrevivência dos bichinhos.

Mesmo que já estejam preparados, caso o pior aconteça, Hamilton confessa que todos na organização estão esperançosos com o futuro dos gêmeos, que ainda não têm nomes definidos; a mãe deles se chama Bora.

A descoberta dos gêmeos foi feita por guias da organização de acampamento ecológico de luxo Elephant Watch Camp, que estavam nas dependências da reserva em um domingo, quando os avistaram.

Os guias, treinados pela Save the Elephants para reconhecer elefantes e famílias individuais no parque, alertaram os pesquisadores, os quais confirmaram que os filhotes são machos e fêmeas.

Os pesquisadores vão incluir a saúde e o progresso dos filhotes nas atividades diárias de monitoramento da Save the Elephants, organização que estuda e monitora famílias de elefantes há décadas.

Os elefantes africanos têm o período de gestação mais longo de todos os mamíferos vivos, de aproximadamente 22 meses. As fêmeas férteis dão à luz a cada quatro anos em média.

O parto dos gêmeos foi o segundo para a elefanta Bora. Ela também tem um filhote mais velho, que nasceu em 2017, e foi visto nas proximidades de Bora e dos gêmeos no domingo em que foram descobertos. Bora vem de uma família de elefantes conhecida como Winds II.

Ameaça

Os elefantes, infelizmente, já fazem parte da lista de espécies ameaçadas, organizada pela União Internacional para a Conservação da Natureza. Os principais motivos para esse triste fato é o comércio de marfim e a perda de habitat destes animais.

No entanto, a população de elefantes cresceu no Quênia, onde os gêmeos nasceram, nos últimos anos, de acordo com o primeiro censo da vida selvagem do país publicado no ano passado.

0 %