Comportamento

Bianca Andrade afirma que criará o filho sem gênero: “Quero que ele seja livre”

O youtuber Fred tem uma irmã não-binária, e conta que foi a partir de uma conversa com ela que ele e Boca Rosa decidiram usar a cor roxa tanto na festa de boas-vindas, quanto no enxoval de Cris.



Um rito de passagem que caiu no gosto popular recentemente são as festas que envolvem revelação do sexo do bebê. São inúmeros vídeos de formas inusitadas de mostrar ao mundo qual é o sexo biológico da criança.

Reproduzindo a crença de que a cor rosa é mais usada em meninas e a cor azul em meninos, os pais confirmam através de fumaças, bolos ou confetes se esperam um menino ou uma menina.

Entrando na onda das festas que envolvem os momentos que antecedem a chegada de um bebê, Bianca Andrade, a Boca Rosa, e seu marido Fred optaram por algo diferente. No início do ano, o casal revelou, no estádio Maracanã, no Rio de Janeiro, o nome do filho, que apareceu em um telão.


Ao invés de esperar explosão de fogos ou fumaças na cor azul ou rosa, os pais optaram por não fazer distinção de cores. Segundo reportagem do Extra, eles preferiram usar a cor roxa, que possui um significado especial para o casal, além de ser a mistura do azul e do rosa.

A influenciadora e o youtuber revelaram que não fazia diferença o sexo biológico do filho, já que eles amariam a criança exatamente da mesma forma. Logo após o nascimento de Cris, eles fizeram uma festa de boas-vindas, que novamente teve a cor roxa como tema.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@bianca.

Fred revelou recentemente que sua irmã é não binária, por isso já tinha consciência das implicações que a generificação pode acarretar na vida de um indivíduo. Boca Rosa ainda disse que ambos pretendem passar autenticidade, respeito e equilíbrio ao filho, esperando que ele seja livre em todos os âmbitos.


A influenciadora defende que ele tenha a possibilidade de se abrir e questionar, sabendo que pode contar com os pais a cada passo que der e cada escolha que fizer. Bianca explica que Cris terá a liberdade de usar o que quiser e, justamente por isso, não quiseram definir o gênero através de uma cor.

Como o roxo representa a cor do casal, para eles acabou sendo simples mudar a temática da comemoração. Para a mãe, é preciso “quebrar os tabus” desde cedo, começando pela forma como os pais pensam, para que as próximas gerações já cresçam sabendo disso.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@bianca.

Defendendo a liberdade de Cris, os dois acreditam que o que realmente importa é que o filho se sinta bem e feliz. Apostar na mudança desses padrões, para o casal, significa um exercício que terá muito valor para as próximas gerações.


Bianca ainda explica que a decisão foi conjunta, principalmente porque se sente muito confortável no casamento, como se tivesse escolhido seu melhor amigo como parceiro. Isso lhe dá a certeza de que estão formando uma família da maneira mais linda possível.

Homem trans, que adotou crianças, sofre ataques nas redes: “Desejaram a morte dos meus filhos”

Artigo Anterior

Médico opera de graça pacientes carentes que ajudam a comunidade com ações voluntárias!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.