Comportamento

Cabelo curto em mulheres é sinônimo de empoderamento e liberdade

capaCortar os cabelos mexe no seu senso de personalidade e libertador
Comente!

Quem adere a esse tipo de corte dificilmente volta a usar cabelo longo.

Com o passar dos anos, vários padrões de beleza foram criados, outros deixados para trás e considerados como antiquados, isso só comprova como a humanidade está em constante evolução, libertando principalmente a classe feminina de amarras impostas pela sociedade machista.

Você já deve ter escutado a frase “homem não gosta de cabelo curto”, ela só comprova como vivemos numa sociedade patriarcal e machista, onde apenas o homem pode decidir o que vestir, comer, beber e quem namorar. A mulher sempre foi ensinada que deve se vestir para ele e não para si própria, sendo lembrada que ela serve apenas como um troféu para o homem.

Na Grécia Antiga, por exemplo, todos os cidadãos usavam cabelos compridos, aliás, ter cabelo curto mostrava que você era escravo ou estava sendo punido por algum crime ou atitudes erradas.

Hoje em dia, o cabelo demonstra ser uma forma de expressão. Várias mulheres decidem colorir as madeixas como uma maneira de representar uma nova fase da vida ou apenas se sentiram à vontade e se arriscaram na inovação. O corte de cabelo curtinho também foi ganhando força com o passar do tempo, curtíssimas quebrando aquele estigma de que apenas o homem deve ter cabelo curto.

O “bem curtinho” diversas vezes já foi visto com um ato de rebeldia, afinal quem não se lembra de já ter assistido a algum filme ou novela cuja vilã era adepta ao cabelo curto? Quebrar o preconceito sobre esse tipo de cabelo foi uma tarefa difícil e complicada, as mulheres exigiram direitos em várias situações, mas os homens continuavam implicando nesse ponto tão simples e banal.

Esse tipo de corte de cabelo denominado “Joãozinho” já carrega uma problemática em seu nome: sempre foi usado por homens, a mulher nunca pôde usar o cabelo dessa forma para não ser vista como uma figura masculina aos olhos dos próprios homens. A ditadura da beleza, que estabelece que é preciso ser magra, bonita e comparada apenas a top models, já está ultrapassada.

Por muitas vezes, a problemática do cabelo curto também enfrenta assuntos como mudança de orientação sexual. A sociedade infelizmente ainda faz comparações do tipo “olha lá, cortou o cabelo porque agora é lésbica”. Nunca existiu uma regra para definir que mulher de cabelo curto não sente atração por homem, as pessoas se esquecem de que o cabelo é singular, cada um deve ser livre para fazer o que tiver vontade.

Várias empresas sempre exigiram um código de vestimenta feminino, cabelo sempre bem arrumado, maquiagem e salto alto, mas o movimento feminista ajudou muito na queda desse estilo, e hoje várias personalidades da mídia conseguem representar uma legião de mulheres no mundo.

A atriz Flávia Alessandra, conhecida por inúmeros personagens interpretados em novelas da Rede Globo, é uma das beldades que ousou e decidiu abandonar as madeixas mais compridas, a mudança veio por conta de nova personagem, mas a vontade da atriz já era bem antiga. Em entrevista para o site Quem, a atriz contou que sempre achou o cabelo curto mais sensual e feminino, e ainda brincou ao dizer que está economizando xampu e nem penteia o cabelo ao acordar.

2Cortar os cabelos mexe no seu senso de personalidade e libertador

Direitos autorais: Instagram /@flaviaalessandra

Muitas artistas já se jogaram no corte “Joãozinho” e arrasaram. A também atriz global Deborah Secco chocou os telespectadores da novela “Segundo sol”, na qual interpretava Karola. Em cena, a atriz repicou as longas madeixas, aderindo ao corte curto.

3Cortar os cabelos mexe no seu senso de personalidade e libertador

Direitos autorais: Instagram / @dedesecco

Xuxa é um grande exemplo de que o comprimento do cabelo não significa talento, a apresentadora e eterna Rainha dos Baixinhos é um ícone brasileiro e usa cabelo loiro e curtinho como sua marca.

4Cortar os cabelos mexe no seu senso de personalidade e libertador

Direitos autorais: Instagram / @xuxameneghel

Comente!

Criança lê 500 livros da biblioteca da cidade em 1 ano: “Vou continuar lendo sempre”

Artigo Anterior

Mulher constrói charmosa mini-casa em antigo ônibus escolar

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.