4min. de leitura

Cada dia mais estamos desconectados da humanidade

Nunca uma geração foi tão conectada e desconectada ao mesmo tempo. Conhecemos tantas pessoas, e não conhecemos ninguém. Acompanhamos tantas vidas nas redes sociais e na verdade não sabemos mais o que é o viver sem mostrar aos outros.

Quantos seguidores temos em nossas redes sociais que realmente conhecemos?


É possível, sim, existir conexões verdadeiras através da internet, e existem muitas pessoas utilizando a ferramenta para espalhar o bem, criando e compartilhando de interesses saudáveis e seguindo um caminho para buscar sempre o melhor. Por outro lado, acompanhamos manifestações de raiva, ódio e absolutismo na internet.

Criamos amizades tão distantes, e não conhecemos nossos vizinhos. Perdemos as conversas pelo telefone, e horas e horas nas calçadas para digitar nos smartphones. Perdemos as conversas agradáveis em uma mesa de jantar ou até de um bar.

Podemos observar a evolução da humanidade, e ao mesmo tempo o retrocesso. Elevemos a disputa entre egos elevados, e fomentamos influenciadores e formadores de opiniões.

Criamos conexões lindas em comentários, com elogios e esquecemos de elogiar quem está à  nossa frente. Falamos bom dia para mil seguidores e não cumprimentamos pessoas nas ruas. O pensamento como humanidade se resume hoje a tecnologias e quantos usuários aquele canal de comunicação tem. Quantas pessoas estão online naquele momento, e quando passamos horas e horas, vivendo e procurando informações de pessoas que sequer vamos conhecer um dia, pessoalmente.


Devemos nos lembrar de viver como humanidade. Vamos pregar menos em redes sociais a felicidade completa, e sim conseguir vivê-la. Não precisamos mostrar o quão somos felizes, o quão estamos bem para pessoas que não se importam verdadeiramente. As tecnologias chegam para nos ajudar no trabalho, no entretenimento sim, mas não podemos deixar de viver na realidade, para viver o virtual.

Quantos demonstram relacionamentos felizes na vida virtual, enquanto em casa tudo desmorona, baseando seu status perante a opinião de outras pessoas que não se importam realmente. Pessoas de muita coragem usam essa ferramenta para passarem lindas histórias de superação, mostrando a realidade de seus momentos mais difíceis. Não estamos errados em viver essa era digital, mas erramos quando perdemos o real.

Coisas maravilhosas podem sim acontecer através de tantas ações como vemos hoje em dia pela internet, mas coisas incríveis também acontecem enquanto você anda pelas ruas de uma cidade.

Perdemos cada dia mais o hábito de contemplação, de olhar o belo e admirar o que está à nossa volta, vemos algo de beleza impressionante e logo queremos publicar, perdemos momentos lindos enquanto digitamos.


Vamos nos conectar novamente como humanidade, como pessoas reais, que vivem momentos felizes e tristes, que passam por dificuldades, que defendem suas crenças com respeito absoluto ao próximo.

Vamos nos conectar com a beleza que nos cerca, a natureza tão bela, que tem muito mais a oferecer aos nossos olhos, e demais sentidos, como olfato e tato, a uma lente de câmera.

Contemplar o belo é arquivar na mente, registrar na memória de nossa mente os momentos mais belos, não só armazenar arquivos nos celulares.

Vamos olhar hoje para dentro de nós mesmos e observar com o que estamos mais conectados, com o digital ou com o real?


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: hxdbzxy / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.