5min. de leitura

A cada dia sou menos perfeita, porém mais feliz!

Parte de viver de forma positiva é entender que somos seres imperfeitos, por mais que nos esforcemos para atingir a perfeição em cada área de nossas vidas.

O trabalho interno de aceitação é complexo e raramente rápido. Porém, quando ganhamos sabedoria suficiente para estarmos bem com quem somos e onde estamos em nossas vidas, conquistamos um equilíbrio emocional e espiritual que nos motiva à frente.


Muitas pessoas, motivadas pela pressão da sociedade, vivem suas vidas inteiras sem autenticidade, fingindo ser algo que não são. Dessa maneira, esforçam-se muitas vezes além do normal para conquistarem coisas ou se tornarem o que nunca realmente desejaram, apenas por validação.

A ideia de perfeição vendida para nós através das mídias apenas nos causa ansiedade e infelicidade com nossas próprias vidas, pois raramente conseguimos nos encaixar no padrão de relacionamento perfeito, carreira perfeita, família perfeita.

Nada na vida é perfeito. Nossas vidas são momentos que devem ser desfrutados com o máximo de intenção e consciência possível, o que só é verdadeiramente possível uma vez que aceitamos a nós mesmos e o mundo ao nosso redor.


Mais felicidade e menos perfeição.

A perfeição torna a todos iguais, vivendo um mesmo padrão de vida e conservando as mesmas características de aparência. No entanto, a verdadeira beleza pode ser encontrada nas imperfeições, porque são elas que nos tornam únicos, diferentes de todas as outras pessoas que existem. Ao nos aceitarmos em todas as nossas falhas e defeitos, nos equilibramos com nós mesmos, o que leva ao equilíbrio em nossos relacionamentos e com o mundo ao nosso redor.

As pessoas que não trabalham em aceitar a si mesmas, acabam por desenvolver um forte sentimento interior de insegurança e inadequação. Esses dois sentimentos levam à insatisfação com suas vidas, o que pode ocasionar o desenvolvimento de emoções tóxicas como inveja, medo, ciúmes. O fato é que esses sentimentos negativos em relação a outras pessoas podem ser infundado. Nem sempre a pessoa que se esforça para viver uma vida totalmente saudável está realmente feliz consigo mesma, nem se aceita plenamente.

Muitas pessoas encontram-se na situação de tentar alcançar a perfeição porque foram criadas dessa maneira.

Pais e mães severos e críticos demais despertam sentimentos de insegurança em seus filhos, que crescem sentindo que a perfeição é a única maneira de realmente serem amados e aceitos.


Isso não é verdade, nós todos temos o direito de ser aceitos, apesar de nossas imperfeições. É vital para nossa saúde alcançarmos um estágio de maturidade que nos permita nos aceitarmos verdadeiramente como somos. Essa aceitação geralmente acontece no início da vida adulta, quando nossos corpos já estão mais maduros.

Quando alcançamos essa fase, a vida realmente começa. Para isso, precisamos estar preparados emocionalmente, para podermos avançar de forma saudável em nossos caminhos, mantendo sempre o senso de autoestima, amor-próprio e integridade.

Tornando-se mais humano e receptivo ao mundo ao seu redor

Ser mais humano é ser mais sensível ao mundo, às pessoas, às realidades da vida. É compreender a si mesmo verdadeiramente, suprir as próprias necessidades e estar sempre disposto a mostrar empatia para as pessoas que precisam.

Para podermos nos conectar com as pessoas com verdade e consciência precisamos em primeiro lugar nos conectar a nós mesmos e nos aceitar plenamente. Aceitar a si mesmo não é apenas estar feliz com sua aparência, mas também com suas emoções, com o seu passado, com seus erros e acertos.

Ser feliz não é a falta de erros. Nenhuma pessoa vive uma vida livre de falhas. Ser feliz é conservar a humildade e fazer o seu melhor todos os dias, por si mesmo e pelas pessoas ao seu redor.

Portanto, fique feliz por ser a cada dia menos perfeito, porém mais feliz!





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.