Cafona é rotular as pessoas de cafona!

4min. de leitura

Poucas coisas na vida me deixam tão enfurecida quanto gente sem personalidade que se acha maravilhosa por ficar seguindo à risca regrinhas bobas e fúteis. Regrinhas que elas não entendem, que elas não sabem por quem e por que foram criadas, mas mesmo assim seguem porque não conseguem pensar fora da caixa. Porque são incapazes de formular uma opinião própria. São incapazes de tomar a menor decisão sem consultar o que as revistas comerciais e literatura de autoajuda anunciam como manual ideal para a vida.



Se falam que passar excrementos de cachorro na pele faz bem para a mesma, passam sem questionar. Pior ainda: além de seguirem à risca fórmulas fechadas, muitos ainda tentam impor aos outros estas mesmas regrinhas. Alguns chegam ao nível de constranger quem decide viver de uma forma diferente da vivida pela boiada. Parecem seguidores de alguma filosofia de vida fundamentalista que prega o extermínio de quem usa verde, sabendo que é o amarelo que está na moda. São pessoas que se acham elegantes e antenadas, mas não passam de fanáticos ignorantes.

São pessoas que adoram rotular tudo e todos de cafona. Que olham com desdém para pessoas que sabem se divertir e rir com espontaneidade. Que desprezam pessoas que não ligam para grifes, que não escolhem os amigos e parceiros amorosos pelo carro que possuem, pelos restaurantes e barzinhos que frequentam. Que acham ridículo qualquer coisa que destoe um milímetro do senso comum.

Outra coisa super chata em minha opinião: ficar tachando as comidas de cafona, ficar ridicularizando as pessoas por gostarem de comer comidas mais cotidianas. Nada contra pratos sofisticados. Gosto muito de alguns. Mas qual é o mal de apreciar com boca boa um pão com ovo ou um bife acebolado quando se está com fome? Qual é o mal de comer salada de maionese num churrasco? Comer salada de endívias no lugar da salada de maionese vai te fazer alguém melhor? Não comer uma comida por não apreciá-la ou por achá-la indigesta é uma coisa. É uma escolha respeitável. Deixar de comer por considerá-la cafona é o cúmulo do pedantismo.


O mais curioso e irritante é perceber que  muitas vezes, as pessoas menos capazes de questionar são aquelas que mais gostam de rotular, fundamentado “seus pontos de vista” apenas por aquilo que é feito pela maioria.

Se não existissem pessoas capazes de questionar e lutar por suas ideias, ainda as mulheres estariam confinadas dentro de casa sem direito algum. Os negros ainda seriam escravos. Os afetos do mesmo gênero precisariam esconder a vida inteira a sua orientação. Se todo mundo seguisse apenas o feito pela maioria, rotulando de cafona e imbecil qualquer forma diferente de pensar e agir, viveríamos em uma sociedade ainda mais tacanha do que a sociedade em que vivemos.


Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.