4min. de leitura

Cair nos faz fortes, porque a próxima lição é levantar

A jornada de nossas vidas é um eterno sobe e desce, cai e levanta, pois é isso que nos torna grandes, é isso que proporciona à nossa alma a evolução que ela busca incansavelmente.

Durante nossa caminhada terrena temos momentos em que caminhamos nos vales verdes, outros no vale da morte e outros estamos nos topos das montanhas mais altas, vendo a luz do sol nascer de cima.


Em cada momento nossas energias e aprendizados acontecem em uma determinada frequência e somos tomados por sentimentos diversos.

Ao caminhar por vales verdes temos a sensação de calmaria e passividade, ao darmos nossos passos no vale da morte, que nos coloca em contato com nossos lados mais sombrios e passarmos pela noite escura da alma, temos a sensação de morte.

Algo profundo em nós se desgruda de nossa pele, como cobra que troca sua vestimenta, e nos pede o desapego. Enquanto não soltarmos, a pele fica grudada nos ossos, na carne e essa sangra, escorre rubramente nossas falsas ideias, nossos dogmas, nossos preconceitos, nossos egos inflacionados por nossas autoimportâncias.


Mas ao percorrer esses caminhos e nos entregarmos, o topo da montanha vai se aproximando porque ficamos mais leves, mais sutis e deixamos pelo caminho os pesos mortos que estavam em nossas mochilas e podemos sentir o perfume do ar fresco e temos um vasto horizonte para nos enfeitar a visão.

Porém a vida não é linear e o fato de chegarmos ao topo não significa que expurgamos todo nosso veneno, podemos a qualquer momento cair novamente para os vales, pois o ego é implacável e nos observa atentamente aguardando apenas um deslize, uma escorregada de nossas mentes, que nos mente o tempo todo e nos faz sentir maiores do que realmente somos e aí, voltamos ao início de outra jornada, para novamente aprendermos, só que novas lições.

Cada degrau que conseguimos escalar, nos faz ter uma percepção diferente e nos coloca desafios diferentes no caminho para que, dessa forma, estejamos abertos ao lapidar da alma, a redescobrir o brilho que somos.

A jornada de nossas vidas é um eterno sobe e desce, cai e levanta, pois é isso que nos torna grandes, é isso que proporciona à nossa alma a evolução que ela busca incansavelmente. É em busca dessa evolução que caminhamos, brigamos, amamos, choramos, gritamos, damos as mãos, abraçamos, rezamos.


Somente vivendo cada dia com sua grandeza e beleza, nós nos entregando a ele como único, pois realmente o é, e dando a cada momento o melhor de nós em todas nossas escolhas, em cada atividade, a cada troca de olhar que vamos nos tornando seres ainda melhores.

Crescemos quando nos permitimos entrega. Permitimos a entrega, quando saímos da dúvida e só deixamos de duvidar, quando nos entregamos. É a roda que faz seu giro em nós.

O importante é termos consciência de que cair nos faz forte, porque a próxima lição é levantar. Termos a humildade de reconhecer nossos excessos e nossas faltas é o primeiro passo para sairmos da zona de conforto, sinal que o reflexo no espelho não é mais o que gostaríamos de ver.

Levantar humildemente é para os guerreiros e isso é uma das frequências da paz interna! Por todas nossas relações. Sinto muito. Perdoe-me. Eu te amo. Sou grata.


Direitos autorais da imagem de capa: Greg Kantra on Unsplash





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.