publicidade

Cale sua mente. Siga o que sente!

Passei por uma situação bem complicada recentemente. Circunstância a qual me fez tomar uma decisão dolorosa através da sensata razão. Sim…fui obrigada a ser contra as vontades do meu coração.



Fiquei dias agarrada ao meu amigo silêncio. Somente ele conseguiu consolar meus escondidos prantos.

Em meio ao desalento…observava a janela entreaberta defronte à minha escrivaninha – na qual regurgitavam palavras mudas sobre o papel – e sentia a força do vento sobre as árvores num dia plenamente nublado.

Não conseguia ouvir o cantar dos pássaros, somente o uivar do vento passando pela fresta da minha janela. E diante de poucos minutos…sem escrever coisa alguma…estagnada diante daquela visão do movimento singular da natureza…um raciocínio simples e lógico permeou minha mente e atingiu meu coração fazendo-me escorrer lágrimas sobre minha face. “Como não havia percebido isto antes?” Interpelei-me em pensamentos.


cale-sua-mente-capa-e-foto-o1

– Claro Izabella! Você só pensava e não sentia! – respondi para mim mesma em voz alta!

Descobri uma verdade que me devastou por dentro: Nossa mente é uma tremenda idiota! Cheia de crenças, medos e autopunições. Ela só pensa e não sente! Tenta o tempo todo nos manipular para não corrermos riscos. Ela quer a todo custo nos proteger de sofrimentos possíveis. Já a natureza e os animais irracionais só sentem e nunca pensam! A flora, por exemplo, é abençoada pelo sol.


Entretanto, em algumas regiões o próprio “rei luminoso” chega até ressecá-la. Em outros momentos, a chuva dá vida ao seu verde, mas também em grandes quantidades a encharca e a destrói. E mesmo assim, os vegetais não se desesperam por nada! Eles acolhem o instante “difícil” com incrível resiliência…recompondo-se dia a dia. Os animais irracionais, sua única comunicação com o homem é através do coração.

Eles nos ensinam que amor é doação…que amor não significa sofrimento…que mesmo demasiado não cansa e que não se altera com as mudanças de humor do ser amado. Diante deste parágrafo, creio que algumas pessoas podem me indagar neste instante: “Sim…isto pode ser bem aplicável aos animais domésticos, mas… e os animais selvagens?” E eu as respondo sem sombra de dúvidas: O instinto selvagem já é algo intrínseco destes animais e eles vivem em total equilíbrio com o ecossistema.

Ser selvagem não significa dizer que não possui sentimento. Eles reagem como sua natureza permite reagir! No entanto, quando um coração bom se aproxima deles…desarmam-se por completos, pois os mesmos conseguem sentir a força magnética do amor que vaza de dentro do ser que os cativa.

Diante de tal revelação silenciosa, também me interroguei: Quantos de nós somos presos a este “pai” razão que nos condena quando o desobedecemos – como filhos rebeldes – para seguirmos o próprio coração? Imaginem quantos amores verdadeiros foram desperdiçados porque esse “pai protetor” nos colocou medo de sentirmos a grandiosidade do amor?

Por que será que quando estamos em contato com a natureza e toda a vida ao redor que a mesma carrega, sentimos uma sensação plena de equilíbrio e paz? E esta pergunta faço questão de responder: A natureza e os animais regem suas vidas através do coração…do que sentem! E sentimentos para eles é harmonia e placidez!

Somente agora entendi que a nossa mente nos ludibria demais e tira o nosso sossego com seus pensamentos turbulentos com a intenção injusta e inconsciente de nos escudar. Já os nossos sentimentos – cheios de emoções – são puros e serenos.

cale-sua-mente-foto-02

Portanto, de agora por diante…quero só ouvir meu sábio coração…quero só sentir e nada mais! Porque VIVER É SENTIR! Que eu cale para sempre a minha mente e siga o que sinto!

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.