Animais

Cão policial de Pernambuco morre e PM presta homenagem: “Era cativante e companheiro”

Os policiais encontraram uma maneira especial de se despedir do companheiro de trabalho.



Os cães sempre marcam nossa vida, independentemente do contexto em que chegam. Criamos uma relação de amor e confiança com eles, por isso sua perda nos machuca bastante e nos motiva a encontrar maneiras especiais de honrar sua amizade.

Recentemente, a Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) fez homenagem especial a um dos cães do Batalhão de Policiamento com Cães (CIPCães), que faleceu.

Segundo informações do site da PMPE, o cão policial “Parada”, um belga malinois, faleceu no último dia 11 de maio, aos 10 anos, por insuficiência respiratória. “Parada” trabalhava no combate ao tráfico de drogas e se tornou um dos melhores cães operacionais da unidade.


Ele chegou à unidade em 2014, para trabalhar na Copa do Mundo de Futebol, em Pernambuco, e foi ganhando espaço, destacando-se por seu faro muito aguçado. O comandante da CIPCães afirmou que “Parada” era muito produtivo e se destacava entre todos os seus companheiros de equipe.

Direitos autorais: reprodução/ASCOM PMPE.

A perda do animal foi uma grande baixa para a unidade, por isso os policiais realizaram uma homenagem póstuma ao cão no Cemitério Morada da Paz, onde ele foi cremado. Estiveram presentes na homenagem os cães que trabalhavam com “Parada”, o comandante da unidade, major Pantaleão, o efetivo da CIPCães e o comandante-geral da PMPE, coronel Cláudio Lopes.

Quando o cão chegou ao local, foram prestadas continências a ele, e a bandeira da unidade estendida em seu caixão, para agradecer-lhe e honrá-lo por seu trabalho. Ainda foi realizado um pronunciamento do comandante da CIPCães, que antecedeu a cremação do animal.


O sargento Eric Soares, adestrador de “Parada”, contou que ele era um animal dócil, companheiro, alegre e cativante. Ainda destacou que o cão marcou presença em ações em prol da formação de crianças e adolescentes.

Soares acrescentou que o companheiro canino “produzia empatia por onde passava”, e ganhava a atenção e o carinho tanto de crianças quanto de adultos, que sempre o estavam abraçando e acariciando. O militar finalizou dizendo que o animal deixará saudades.

Infelizmente, o tempo de vida dos cães não é o mesmo que o nosso, e muitas vezes eles partem primeiro, deixando-nos com a saudade e as boas lembranças do que vivemos ao seu lado. Deixamos por aqui a nossa admiração pelo dedicado animal.


Universitário que carregava batatas na rua para pagar os estudos se forma e já tem emprego garantido

Artigo Anterior

Entregador ganha marmita e dá a homem que trabalha no semáforo. “Sempre fui assim”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.