Animais

Cãozinho abandonado que era apedrejado por crianças, é resgatado e ganha novo lar!

1 capa Caozinho abandonado que era apedrejado por criancas do bairro e resgatado e ganha novo lar

Buddha vivia nas ruas e era constantemente machucado pelas crianças da região, mas uma ONG recebeu uma denúncia e decidiu resgatá-lo!



Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), existem cerca de 30 milhões de animais abandonados só no Brasil. Estima-se que 10 milhões de gatos e 20 milhões de cachorros estejam completamente desamparados, vagando pelas ruas, atrás de água e comida. No mundo, esse número espanta mais ainda: cerca de 200 milhões, segundo a OMS.

O abandono é uma forma de indiretamente afirmar que os animais são propriedade dos humanos e que estes podem fazer o que bem entendem com aqueles, sem medo de sofrer represálias. Sabe aquele fogão velho, que nem sequer dá para revender? É assim que os bichinhos são tratados, descartados em qualquer lugar, dando a impressão de que nem sentimentos eles têm.

Os animais amam sentem dor, choram e ficam felizes, como nós. Só porque não se expressam da maneira que consideramos digna de ser ouvida não significa que possamos fazer com eles o que queremos. Infligir dor a qualquer ser vivo é cruel, principalmente quando sabemos que ele não pode se defender ou revidar. É covarde, desumano e infinitamente doloroso saber que um animal foi abandonado; ele merece apenas o melhor.


Em Los Angeles, nos Estados Unidos, um caso parecido aconteceu. Abandonado no bairro de South Central, uma região perigosa da cidade, o cãozinho Buddha vagava pelas ruas em busca de comida, água e locais onde pudesse descansar.

1 2 Caozinho abandonado que era apedrejado por criancas do bairro e resgatado e ganha novo lar

Direitos autorais: reprodução Facebook/Hope For Paws.

Frequentemente Buddha era maltratado pelas crianças do bairro, que insistiam em apedrejá-lo. Um descaso completo, que demonstra a falta de amor pelos animais e o comportamento maldoso infantil que, na maioria das vezes, reflete apenas uma criação sem diálogo. É fundamental que os adultos invistam tempo numa educação que consiga manter uma conversa aberta sobre as mais variadas esferas da sociedade, para que casos como esse não ocorram.

Buddha era torturado pelas crianças, como relata a organização não governamental (ONG) Hope for Paws.


O apedrejamento causou uma lesão extensa no ombro do cãozinho que, sem tratamento,  evoluiu para uma infecção séria e que desencadeou um abscesso. O ferimento era extremamente doloroso e deixava o animal ainda mais amedrontado.

Eldad Hagar, voluntário da ONG, recebeu uma denúncia dos moradores locais, que já não aguentavam mais presenciar o sofrimento daquele cãozinho, e decidiu resgatá-lo. No vídeo do resgate, é possível perceber o temor do animal e o cuidado do homem para ganhar sua confiança.

A Hope for Paws cobriu todos os gastos do tratamento do animal e Buddha viveu durante um período no abrigo, onde conheceu vários outros animais e pessoas que viraram suas amigas.

Segundo a instituição, o cãozinho conseguiu ser adotado pouco tempo depois e hoje vive tranquilamente em um lar, onde é respeitado e recebe muito amor.


1 3 Caozinho abandonado que era apedrejado por criancas do bairro e resgatado e ganha novo lar

Direitos autorais: reprodução Facebook/Hope For Paws.

Eldad e a Hope for Paws, além de resgatar e cuidar de animais abandonados e feridos, também buscam conscientizar a população sobre a extensão dos problemas que o descarte de animais pode gerar. Eles ensinam sobre a importância da castração dos animais domésticos, do compromisso que as pessoas devem ter, quando decidem ter um bichinho, entre outros temas.

O que você achou dessa história?

Comente abaixo e compartilhe-a nas suas redes sociais!


“E a louça, lavou?” Mulher faz compra de camiseta feminista e se depara com frase machista em embalagem

Artigo Anterior

“Nós temos uma nova missão”: tios adotam 5 sobrinhas depois que mãe morre de covid-19

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.