Amizade

Carta ao meu melhor amigo que está longe…

Os amigos são preciosidades, irmãos escolhidos pelo coração e, muitas vezes, quando um se distância fisicamente é que percebemos a falta que faz aquele ombro, aquele sorrir.



Essa distância nos trás a reflexão do quão importante cada um se faz em nossas vidas.

Por isso é tão importante falar sobre as emoções. Exprimir o amor através de ações. Reverenciar através da gratidão as pessoas que transformam a rota de nossas vidas. E esse texto é um pouco disso, uma carta aos amigos que se fazem presentes pelo coração e que estão longe fisicamente. Quem não tem algum amigo ou amigos nessa situação?

Muitas vezes, a proximidade faz desbotar o tom, quebra percepções, automatiza o sentir, acomoda, traz preguiça, porque tá “pertim”, ali bem à mão, a toda hora, bem fácil de encontrar. Um belo dia vem uma dessas surpresas da vida e faz bagunça, muda tudo. E aquilo que estava tão ajeitado, se desloca, faz nova rota e no início não sabemos bem como agir. Você estava tão assim, próximo, e de repente o seu longe só reafirma o que faz pulsar o coração e acentua as cores que estavam meio empoeiradas, mas que sempre reluziram em ti.


Aí a saudade, essa danada, vira e mexe bate na porta, dança e faz careta para mim. Ela é inconveniente, chata, mas faz mostrar o amor da gente, que suspira e pede calma, que transborda do peito, sem fim.

 

Bate lá na porta dele também e leva essas palavras, falando que o oceano que nos separa, se transforma em uma só gota quando a amizade verdadeira se faz presente. Fala com ele que a falta é grande, dos olhos nos olhos, das risadas, das conversas e das receitas que fazia para mim. Que o seu sofá era o melhor de todos e que até as brigas e implicâncias ficaram pálidas. Mas fala também, que ele é o meu maior exemplo de quem segue os sonhos, faz colagem com o destino e pinta com aquarela o porvir.

Que é meu super herói meio torto, por tanta coragem, enfrentando a vida de peito aberto sem medo de viver e sentir.


Fala com ele que o mundo é grande, mas a sua garra e vontade fizeram com que ele, o mundo, coubesse no bolso do seu jeans. Fala com ele que apesar de você (saudade), a torcida é imensa e o sentimento é daqueles que se mistura ao amor de mãe. De quem acompanhou o primeiro porre, suspira pelos romances e vibra pelas pequenas e grandes conquistas. De quem tem sempre uma prece de proteção e liga xingando, chamando atenção.

 

Mostra para ele, que apesar da distância, o pensar chega mais rápido que a velocidade da luz, levando gratidão, boas vibrações, força, um pouco de juízo, o azul da serenidade e o rosa do amor incondicional. Fala com ele que nossa amizade é assim, discordando, concordando, implicando, consolando, odiando e amando sempre.

Fala lá com meu melhor amigo, que ele faz uma falta enorme, mas que a felicidade é maior por poder ver o seu crescimento, amadurecimento, suas primeiras palavras em inglês e o seu florir. Por poder fazer parte do seu jardim, por visualizar sua garra e generosidade, compartilhar seus medos e sua coragem. Características daqueles que pensam grande e que tem como a lema a determinação.


Vai lá saudade, sua chata, leva logo essa carta, para tentar diminuir os anseios que você deixa em mim, leva meus conselhos maternos, todos os “cuidados ternos” e também leva o meu grande e longo abraço, daqueles que enlaçam e trazem o sorrir…


Por Ana Paula Mendes – Originalmente publicado no Superela.

Leia mais:  Diga-me com quem anda e te direi como se senteA vida que vale a pena ser vivida


Aquilo que você quer, também quer você!

Artigo Anterior

Como fazer tudo ficar bem – tudo que você é “contra” se intensifica!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.