ColunistasCrônicas

Carta de um idoso…

Carta de um idoso…



Oi jovem, como vai?

Espero que tenha garra suficiente para enfrentar os dissabores da vida.

Já fui jovem como você, por isso entendo muito bem as coisas que você anda sentindo.


Já enfrentei muitas barras, já ralei muito, como você diz, mas segui em frente.

Você ainda não é um velho como eu, então fica um tanto difícil me compreender.

Hoje, sem o vigor da mocidade, caminho bem devagar e você tem pressa.

Já não escuto muito bem e você acha complicado conversar comigo.


Minha mente anda um pouco lenta e não consigo acompanhar a rapidez do seu raciocínio.

Já estou às voltas com algumas manias e você perde a paciência comigo.

Caso eu fique demente ou esclerosado, trate-me com ternura, porque talvez você precisará de igual ternura quando envelhecer.

Sei que pode parecer que já não sirvo para mais nada.


Mas é engano, sabia?

Tenho tantas coisas para contar…

O que aprendi na vida pode ser muito útil para você.

Minha história servirá para lhe mostrar como acertar mais e errar menos.


Para isso, peço um pouquinho do seu tempo, do seu carinho e de sua paciência.

Se ficarmos amigos, eu me sentirei um pouco mais jovem perto de você e em contrapartida, você se tornará mais sábio para lidar com as mazelas da vida.

“às vezes é preciso parar e olhar para longe, para podermos enxergar o que está diante de nós.”

Artigo Anterior

Mulher com orgulho! com alma e sentimentos à flor da vida!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.