Comportamento

Depois de 42 anos de união, casal morre vítima de covid-19 com 24 horas de diferença

O casal vivia em Chapecó (SC). A perda gerou grande comoção entre a família.



A covid-19 tem feito muitas vítimas das mesmas famílias e deixado saudade e vazio em muitos corações.

Neli Teresinha Correa de Oliveira, de 65 anos, e Joaquim Soares de Oliveira, 75, casados havia 42 anos, perderam a batalha para a doença com menos de 24 horas de diferença, e ajudaram a aumentar a triste estatística de mortos em nosso país.

Segundo informações do G1, o casal vivia em Chapecó (SC) e começou a apresentar os primeiros sintomas no dia 17 de fevereiro. Eles procuraram ajuda em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) perto de onde moravam e, dois dias depois, precisaram ser transferidos para o Hospital Regional do Oeste, na mesma cidade.


No hospital, aguardaram vagas na UTI, mas precisaram ser separados, já que cada um conseguiu vaga em um lugar diferente. Enquanto Joaquim foi para Criciúma, Neli foi para Maravilha.

O casal teve reações diferentes à doença. Neli apresentava melhora e foi capaz de falar com os filhos por chamada de vídeo. No entanto, Joaquim tinha uma situação mais delicada, o que levou o filho Roque viajar até Criciúma para ficar mais perto do pai.

No entanto, a situação mudou rapidamente, pois Neli sofreu um AVC, em 28 de fevereiro, e acabou falecendo na manhã do mesmo dia.

Direitos autorais: redes sociais/reprodução.


Logo após sua morte, Joaquim, que não sabia que havia perdido a esposa, piorou ainda mais e, dia 1º de março, também faleceu.

A situação despertou muita tristeza na família. Márcio Adriano Corrêa, um dos filhos do casal, disse que os pais formavam um casal muito alegre e unido, que adorava dançar e aproveitava muito as comemorações familiares.

Também contou que essa situação é muito difícil, mas acrescentou que “um não ia sobreviver longe do outro”, lamentando as perdas provocadas pelo vírus.

Direitos autorais: redes sociais/reprodução.


Roque havia testado positivo para covid-19 no ano passado, ficou sete dias na UTI, com 80% do pulmão comprometido. Outro filho do casal, Cirino Corrêa de Oliveira, também passou 59 dias em internação.

Realmente, uma notícia muito triste, que esperamos servir como exemplo do quão importante é continuarmos cuidando de nós mesmos e daqueles que amamos.

A pandemia continua roubando muitas vidas, e só através de nossas atitudes conseguiremos nos manter afastados de todo o mal que ela pode causar.

Compartilhe o texto em suas redes sociais!


Ludhmila Hajjar recusa cargo de ministra da Saúde. Convite foi feito por Bolsonaro

Artigo Anterior

Filha de faxineira se forma e veste uniforme da mãe para homenageá-la: “Mulher incrível”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.