Relacionamentos

Casal revela que namorar outras pessoas é “o segredo para um casamento feliz” e recebe críticas

Casados há mais de oito anos, e com dois filhos pequenos, eles acreditam que apenas com o poliamor existem chances de o relacionamento ser duradouro.



O que faz um casamento durar? Muitos especialistas garantem que a comunicação e o entendimento de que o relacionamento muda com o tempo, assim como os envolvidos, pode ser a resposta para essa pergunta.

Mas nem sempre é assim que funciona, principalmente quando se trata de relações interpessoais, em que cada indivíduo carrega uma bagagem complexa de vivências e culturas.

Para Jessica Levity, de 35 anos, e Joseph Daylover, de 40, é a poligamia que faz com que tenham um casamento de sucesso. Isso mesmo, o casal explica que é a multiplicidade de parceiros que faz com que tenham um relacionamento duradouro e saudável. Para muitos, isso pode soar como estranho, ou até errado, mas eles garantem que tem funcionado há muitos anos.


Nas redes sociais, Jessica conta que foi ela quem convenceu o marido a tentar essa forma de relação, e há oito anos tem funcionado. Os dois namoram várias pessoas fora do casamento ao mesmo tempo, e cada um tem uma noite na semana para sair e descansar um pouco da rotina com filhos e família. Até de encontros duplos eles já participaram.

Jessica revela que eles já tiveram cerca de 20 outros namorados e namoradas, chegando até a compartilhar a mesma companheira, uma época. Atualmente, Joseph tem um namoro longo com a doula Lore Hempstock, de 33 anos, enquanto Jessica se divide entre o namorado John Poster, de 38, e as namoradas Toocha Rose, também de 38, e Kayci Lynn, de 24.

 

Direitos autorais: reprodução Instagram/@professor.daylover.


O que parece completamente fora da curva para a maioria dos casados, para eles chega a ser natural, tanto que, no futuro, até os filhos Azlan, de 3 anos, e Lucius, de 4 meses, vão saber da dinâmica dos pais. Joseph acredita que o poliamor não envolve apenas o relacionamento com outras pessoas, mas a garantia de saúde mental, pois as necessidades de todos são atendidas.

Jessica e o marido separam uma noite da semana, cada um, para sair um pouco da rotina e fazer uma pausa no trabalho parental. Eles consideram isso uma prioridade e uma forma de autocuidado, e os parceiros mais sérios acabam entrando no dia a dia da família, em que todos colaboram de forma harmoniosa para a criação das crianças.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@professor.daylover.

Desde que se conheceram, eles passaram quatro anos sendo monogâmicos, mas assim que alguns amigos contaram que estavam tentando o poliamor, Jessica sentiu que era exatamente isso o que ela buscava. Joseph conta que levou um pouco mais de tempo para aceitar a ideia da companheira, mas deu certo, e agora eles nem se imaginam em relacionamentos de outra maneira.


Para quem se pergunta como funciona quando os parceiros de fora terminam, eles respondem na lata: já chegaram a consolar um ao outro em rompimentos difíceis com outras pessoas. Eles estão abertos a mais pessoas participando do casamento e contam que os namorados poderiam até morar na casa, se quisessem.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@professor.daylover.

Jessica complementa que os parceiros de fora do casamento costumam compreender bem a dinâmica, e que quando frequentam a casa deles, acabam adotando esse estilo de vida bem comunitário, colaborando para uma vida em família bem harmoniosa. O relacionamento, de acordo com o casal, chegou a um ponto de confiança e cumplicidade que lhes permite experimentar conexões profundas com outras pessoas sem que exista ciúme envolvido.

Segundo reportagem do The Sun, os pais acreditam que a única coisa que os filhos vão aprender com o relacionamento deles é que existem inúmeras formas de amor e de conexões interpessoais, e esperam que isso os torne mais respeitosos, independentemente de qual tipo de modelo de relacionamento escolham no futuro.


Direitos autorais: reprodução Instagram/@professor.daylover.

Mas nem todos compreendem essa forma de relação. Nas redes sociais, Jessica costuma receber vários ataques e ofensas, o que, para ela, apenas mostra a intolerância das pessoas. Ambos concordam que um casamento poliamoroso não funciona para todos, mas também não significa que seja errado ou não deva existir.

Flagrado estudando no chão da rua, menino recebe ajuda de policiais e ganha internet e tablet

Artigo Anterior

Cãozinho com sequelas por passar anos preso em caixa é resgatado, ganha família e se recupera

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.