Notícias

Em depoimento, filhos de ex-namoradas de Jairinho relatam “sessões de tortura” de vereador

Menina de 13 anos e garoto de 8 confirmaram ter sofrido agressões sérias depois que saíram com o parlamentar, as crianças são filhas de duas ex-namoradas de Jairinho.



Em novo episódio do “Caso Henry”, os filhos de duas antigas namoradas do médico e vereador Jairo Santos Júnior, relataram à polícia terem passado por “sessões de tortura” com o parlamentar.

Os depoimentos foram prestados na Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV), confirmando as alegações das mães ao delegado Henrique Damasceno, que investiga a morte de Henry Borel Medeiros, de 4 anos.

O delegado e titular da 16ª DP encaminhou as declarações à delegacia especializada, que abriu outras duas investigações, segundo informações do G1.


A menina de 13 anos foi ouvida primeiro, e relatou ter tido a cabeça batida contra a parede do box do banheiro e ter sido pisada por ele no fundo de uma piscina, sendo impedida de sair à superfície para respirar. A mãe conheceu Jairinho em 2010, e o casal chegou a ficar noivo, mantendo a relação por quatro anos.

A avó da garota também prestou depoimento, e informou ter questionado o parlamentar a respeito de um machucado que a criança apresentava na testa. O vereador teria lhe dito que o ferimento havia sido causado em outra ocasião, enquanto eles estavam a caminho do shopping, e que uma freada brusca acabou fazendo com que ela batesse a cabeça no console do carro.

E outro momento, a avó alegou que a menina apareceu com o braço imobilizado com uma tala, e que Jairinho teria dito que eram ferimentos do judô, mas o professor da academia nega tal acontecimento.

A avó ainda disse que causou muita estranheza o comportamento da neta, que a agarrou e chegou a vomitar, em pânico, pedindo para não ser deixada sozinha com o vereador. Cerca de oito meses depois, enquanto assistia a um programa de TV que falava sobre violência doméstica, a criança confirmou os episódios de agressão que sofrera à família.


Jairinho negou as alegações da menina, quando foi preso no dia 8 de abril e interrogado pelo delegado Adriano Marcelo Firmo França, titular da DCAV. O parlamentar afirmou que tinha uma relação “amistosa” com a filha da ex-namorada e que não mantinham nenhum “grau de intimidade”, alegando que não saiu sozinho com ela em nenhuma ocasião, ou sequer a levou a um local onde tivesse piscina.

A outra criança que prestou depoimento foi o filho da estudante Débora Melo Saraiva, de oito anos. A mãe manteve relacionamento com o vereador durante seis anos, entre idas e vindas, desde 2014, mesma época em que era casado com a mãe de dois de seus três filhos, Ana Carolina Ferreira Netto.

O menino relatou que Jairinho colocou um pano e um papel em sua boca, obrigando que ele não os engolisse. Em outra ocasião, ele teria colocado o garoto deitado no sofá da sala e pisado em seu corpo.

A mãe disse que, em um momento em que o parlamentar ficou sozinho com seu filho, ele ligou dizendo que o garoto havia torcido o tornozelo. Assim que passaram pela emergência, os médicos constataram que a criança havia quebrado o fêmur, mas que, mesmo diante de um ferimento tão grave e doloroso, o menino não chorou, o que causou estranhamento na estudante.


Desaparecida há 50 dias, adolescente era amiga de jovem que foi assassinada depois de cavar a própria cova

Artigo Anterior

“Um esforço enorme para sentir graça de viver”, desabafa Karol Conká após polêmicas no BBB21

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.