Pessoas inspiradoras

Cearense de 9 anos desiste de comprar videogame e usa dinheiro para doar cestas básicas para pessoas carentes

Pedro abriu mão do valor que tinha, mesmo sendo pouco, para ajudar pessoas que precisavam se alimentar em sua comunidade, mostrando que, mesmo criança, já é consciente.



A pandemia do novo coronavírus deixou em extrema vulnerabilidade as famílias que já passavam por dificuldades financeiras, fazendo com que muitas pessoas perdessem os empregos, aumentando a porcentagem de indivíduos que sofrem com insegurança alimentar e dos que não têm onde morar.

Sem emprego, não há dinheiro, sem dinheiro, não há como comprar comida, pagar aluguel ou mesmo adquirir itens básicos de higiene, por exemplo. Em uma sociedade em que o fruto do trabalho é pago em moeda e as pessoas são cotadas pelo quanto recebem, como ficam os que não têm oportunidades e seguem sem receber nenhuma quantia?

Mas existem algumas pessoas que ajudam da forma como podem, tentando amenizar, mesmo que de forma irrisória, o sofrimento da população. Esse é o caso de Pedro Victor Lima de Aquino, de 9 anos, que optou por abrir mão de ganhar um videogame para ajudar os vizinhos e moradores da sua comunidade, doando para eles cestas básicas.


É impressionante como a consciência atinge as pessoas desde a mais tenra idade, mostrando que o ambiente onde crescem e a criação que recebem têm papel relevante.

Pedro optou por organizar uma rifa para arrecadar mais dinheiro para, assim, ajudar mais pessoas em Fortaleza, no Ceará. Na imaginação infantil, o pequeno tinha como objetivo “acabar com a fome do mundo todo”, e mobilizou os familiares a fazerem parte da sua ação.

Pedro usou todas as moedas do seu cofrinho para alimentar a população, dinheiro este que estava juntando para comprar um videogame. Assim como qualquer outra criança, ele sonhava em passar o tempo se distraindo com  os mais variados jogos, e como a família não tinha condições de lhe presentear, ele decidiu guardar todas as moedas que ganhasse.

Direitos autorais: reprodução Instagram/@pedro_victoraquino.


Direitos autorais: reprodução Instagram/@pedro_victoraquino.

Mas a ideia de reverter R$ 50 para fazer uma rifa partiu dele mesmo, e todos na família sentem orgulho da personalidade e índole do menino. A cada ponto de rifa, Pedro pediu 1 quilo de alimento não perecível e, no fim, conseguiu montar 15 cestas básicas, ajudando vizinhos e outras pessoas que passavam necessidades em sua região; vários desconhecidos quiseram participar.

Quem recebeu as doações nem sequer conhecia Pedro e percebeu o tamanho do coração do menino, que se dispôs a ajudar completos desconhecidos, porque sabe muito bem a importância disso e como pode impactar positivamente a vida de famílias inteiras. Mesmo tendo muito pouco, o menino reverteu isso em uma ação de verdadeira relevância social!


Depois de um ano vivendo nas ruas, jovem cria negócio milionário. “Dificuldade me fez forte”

Artigo Anterior

Analfabeta e ex-gari, mulher cria ONG que já doou mais de 450 toneladas de comida e ajudou 7.500 crianças

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.