Cerque-se dos que emanam bondade…

6min. de leitura

Às vezes, certamente em razão do meu atraso evolutivo-espiritual, fico a me questionar como é possível existirem seres da mesma espécie, contudo tão contrários entre si.

A diversidade humana é clara e evidente, notadamente explicitada, até mesmo para os menos observadores. Afinal, existe todo um planeta habitado por muitas espécies iguais entre si, porém, com características muito diferentes, seja na questão de raças, cultura, ou outras tantas coisas.



Porém, esta reflexão não se trata dessa diversidade externa, facilmente visível a quem quer que seja, mas das diferenças entre as diversas almas que habitam este mundo, com suas diferenças tão marcantes, mas que, contudo, se misturam em um mundo onde não se separam “os bodes das ovelhas”, nem o “joio do trigo”, ao contrário, todos somos desafiados a conviver.

Esta é uma reflexão acerca dos mais diversos estágios da evolução espiritual, onde cada um de nós, em seus devidos postos, interagem com aqueles em ascensão evolutiva ou outros em estado de total estagnação.

Toda essa diversidade divide um mesmo plano, certamente, não por acaso, mas porque nos  são dadas idênticas oportunidades de expandir nossas almas, tornando-nos, a cada dia, seres melhores.


Por esta razão é que, muitas vezes, eus me percebo tanto atônita quanto encantada, o que pode ocorrer em um mesmo dia e até em um mesmo lugar.

Assim, vivemos nosso cotidiano esbarrando em nossos semelhantes que, no entanto, diferem-se pelo estágio espiritual em que se encontram.

Não tenho a pretensão, nem a ousadia de cultivar o propósito de julgar ou classificar os meus irmãos de jornada, porém, como uma das tantas provações a que nos destinamos, torna-se inevitável a interação com os diferentes níveis de evolução.

Existem aqueles que nada cultivam de vivo dentro de si, preservando em seus corações apenas a secura, e que são incapazes de externar qualquer gesto humanitário, ou a menor manifestação de empatia. Ainda mais atrasados que estes existem os que desejam ou praticam o mal, classe de criaturas dignas de pena que se comprazem com os infortúnios alheios, comportamentos compatíveis com seu baixo campo vibracional que lhes provocam a própria infelicidade, sem que se deem conta disso.


É preciso vibrar em outra frequência para não nos deixar influenciar por estes, intento não muito fácil de ser alcançado, uma vez que a maioria de nós, habitantes desse plano, aqui se encontra, por não estarmos ainda evoluído o bastante para habitarmos outros mundos.

Por isso, a convivência com estas pessoas espiritualmente atrasadas pode nos ser de muito prejuízo, se não estivermos sempre a vigiar nossas condutas.

Mas nem só de encontros nefastos é feita esta nossa existência terrena, felizmente a transitar por este mundo existem, em quantidade reduzida, é certo, aquelas criaturas que se encontram mais próximas da “Luz Maior”. Seus espíritos galgam, sistemicamente, degraus da evolução nesse tempo e espaço.

Almas antigas, oriundos das longas jornadas desta vida terrena, que seguem em ascensão espiritual rumo ao mais alto posto, ainda que, para isso, muita lapidação faça-se necessária.

São seres acolhedores, cujo sorriso é alento para nossas tristezas, cujas palavras são repletas de serenidade, humildade e mansidão, surtindo em nós um efeito que acalma e faz brotar a esperança.

Nas tribulações da vida, surgem como anjos vindos em nosso socorro, na hora exata em que mais necessitamos, fortalecendo-nos com palavras edificantes e sua postura fraterna que nos encoraja.

Não são muito comuns, nem existem amiúde neste plano de provações e apegos materiais. Aqui, pouco se demoram, vindo apenas para ser alento e auxílio.

O Criador nos envia essas suas criaturas para amenizar nossas dores, para facilitar a caminhada e para que, com eles, tenhamos a oportunidade de aprender e evoluir.

E nesse movimento espiritual, de encontros, desencontros, nesses contatos com os mais atrasados e os mais adiantados, vamos retraindo ou expandido nossas auras, evoluindo ou estagnando, dependendo de nosso livre-arbítrio, aproximando da luz ou nos mantendo por longos períodos longe dela.

O que sei é que um recente despertar apontou-me os caminhos para longe de seres espiritualmente rudimentares e uma voz como que sussurra em meus ouvidos:

Cerque-se dos que emanam bondade, pois são estes os obreiros que podem ajudá-lo em sua jornada evolutiva.

Estes nos ensinam o valor da caridade, a importância suprema da humildade e que a empatia é a luz de que necessita nossas almas.

___________

Direitos autorais da imagem de capa: ababaka / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.