ColunistasReflexãoVida

Chega de sonhar. Vamos viver!

CHEGA DE SONHAR. VAMOS VIVER FOTO DE CAPA

Sempre fui do tipo sonhadora. Por anos, rezei toda noite fazendo pedidos. Fiz também pedidos para os bolos de aniversário, estrelas cadentes, 7 ondas… e para manter a balança equilibrada, também sempre acendi um montão de velas e incensos agradecendo os pedidos realizados.



Passando a limpo “todos sonhos” realizados, me dei conta que fui boba demais em sonhar tanto, pedir tanto e rezar tanto. Hoje, eu sei o que quero “ser quando crescer”: quero ser apenas o que já sou. Isto me basta.

Agora é só cultivar e lapidar o que já existe dentro de mim. Assim, me sinto mais inspirada diante do cotiano e crio coisas incríveis na minha vida.

CHEGA DE SONHAR. VAMOS VIVER FOTO 01


Gastei energia demais ao longo da minha vida planejando coisas. Como sempre, cada vez que um sonho se tornava realidade, eu ficava atônita. Como aquele ditado que diz “o melhor da festa é esperar por ela”. Não quero mais esperar por coisas que não estão disponíveis para mim aqui e agora. Assim como, cada vez mais me sinto grata pelo momento no qual estou vivendo agora (não é à toa que se chama presente) uma energia maravilhosa me faz sorrir. Para mim isso é o melhor da vida, se sentir plena a cada instante. Quando vivemos assim, momento a momento, todos os momentos são importantes, e os que eu, antes, considerava “mais importantes ou especiais” são bons também e usufruo de uma forma muito melhor por não criar expectativas. É um delicioso e libertador: “dane-se” ao que acontecerá.

No livro Palavras de Poder de Lauro Henriques Jr., ele pergunta ao autor Eckhart Tolle :

LHJ – Muitas vezes esse nosso “sim” para o momento presente também envolve ter que lidar com um planejamento do futuro, não é? Por exemplo, ao programar uma viagem de férias.

ET – Sim, mas planejar o futuro não significa que temos que nos perder nele. A questão é saber se estamos usando o nosso tempo de forma prática, objetiva, ou se estamos nos perdendo no futuro.


CHEGA DE SONHAR - FOTO 02

Por exemplo, quando planejamos uma viagem de férias, quando nos programamos para fazer um curso, uma reforma em casa, etc., tudo isso é válido. Nós estabelecemos um objetivo e trabalhamos para alcançá-lo. Porém, quando imaginamos que só ao conquistar essas coisas é que finalmente vamos ser felizes, aí estamos nos perdendo em projeções mentais do futuro. Já não estamos em contato com o agora. Essa é a  diferença entre o que podemos chamar de “tempo de relógio”, que tem seu papel prático na vida, e o “tempo psicológico” que se manifesta nessa identificação compulsiva com o futuro e o passado.

É isso. Hoje enxergo que me projetei demais no futuro, e cada vez que ele chegava, eu caia de boca. Digo, repito e repetirei até eu morrer: o presente (real, não o mental) é a maior benção que temos. Ele nunca é ruim. Nele tudo sempre está perfeito. Viver como se estivesse sonhando, é realizar sonhos a cada instante. Esta fórmula torna tudo ao nosso redor magicamente divino.


Aproprie-se de si!

Artigo Anterior

Cromoterapia alimentar para cura e prevenção de doenças:

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.