publicidade

Cientistas da Suécia conseguem reverter os danos do AVC no cérebro, e podem mudar muitas vidas!

Pesquisadores da Universidade Lund, na Suécia, conseguiram reverter os danos do AVC. Esse é o primeiro passo para uma descoberta que ajudará inúmeras pessoas!



De acordo com a Organização Mundial da Saúde, o acidente vascular cerebral (AVC) é a segunda maior causa de mortes no mundo, ficando atrás apenas da doença isquêmica cardíaca. São muitas as pessoas que perdem a vida para o derrame, mas a ciência está constantemente fazendo descobertas interessantes que podem ajudar a mudar essa realidade.

Recentemente, pesquisadores da Universidade Lund, na Suécia, conseguiram restaurar a mobilidade e a sensação de toque em ratos que sofreram AVC, através da reprogramação das células da pele humana e do transplante delas no cérebro. O estudo foi publicado no Proceedings da Academia Nacional de Ciências (PNAS), em abril deste ano.

Estudos anteriores já tinham confirmado a possibilidade de transplantar células nervosas derivadas de células-tronco humanas ou células reprogramadas em cérebros de ratos afetados por acidente vascular cerebral.


O que os pesquisadores ainda não tinham certeza era se as células transplantadas poderiam formar corretamente conexões no cérebro de ratos de maneira que restaurem seus movimentos e sentimentos.

Zaal Kokaia, um dos pesquisadores que participaram do estudo, explicou como eles fizeram o experimento.

Ele disse que a equipe usou técnicas de rastreamento, microscopia eletrônica e outras, como a luz, para desligar a atividade nas células transplantadas, como forma de mostrar que elas realmente se conectaram corretamente nos circuitos nervosos danificados.

Com isso, viram que as fibras dessas células cresceram para o outro lado do cérebro, aquele em que não haviam transplantado nenhuma célula ou criado conexões. Ele acrescentou que nenhum estudo anterior havia mostrado isso.


As células nervosas transplantadas (à direita), produzidas a partir de células da pele humana, enviam suas fibras nervosas para o córtex cerebral, no lado oposto do cérebro, em ratos acometidos por acidente vascular cerebral.

Seis meses após o transplante, os pesquisadores notaram como as novas células haviam reparado os danos causados ​​pelo derrame no cérebro dos ratos. O resultado foi surpreendente para Kokaia, que estuda o cérebro humano há décadas, ao lado da outra participante do estudo, a professora Olle Lindvall.

Os pesquisadores estão animados com as descobertas, mas afirmam que mais estudos virão pela frente.

Kokaia explicou que o que realmente desejam saber é como as células transplantadas afetam o hemisfério oposto do cérebro, além disso, querem examinar mais de perto como um transplante afeta funções intelectuais, como a memória. Eles também estudam os possíveis efeitos colaterais dessa transformação, porque a segurança é vital no transplante de células, caso o experimento venha a ser aplicado clinicamente.

Lindvall comentou que esse estudo traz a esperança de que, no futuro, seja possível substituir células nervosas mortas por células nervosas saudáveis ​​em pacientes com AVC.

Que estudo espetacular! É incrível como a ciência está sempre evoluindo e nos ajudando em todas as áreas. Que essas grandes descobertas sejam apenas a porta de entrada para mais conhecimentos que futuramente poderão ajudar a salvar vidas!

O que você achou da pesquisa?

Comente abaixo e compartilhe-a com seus amigos nas redes sociais!

 

Direitos autorais da imagem do texto: Lund University.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.