publicidade

Cinco dicas (e três atitudes) para se libertar da agressão emocional do outro:

Inevitavelmente, somos alvos de agressão emocional. É um fato lamentável da vida. E dói.

Neste curto vídeo, Giridhari Das apresenta 5 passos para lidar com este tipo de situação, para minimizar seu impacto e usar a situação para seu crescimento.



Quem não se trabalha, não busca se melhorar e se espiritualizar, enche-se de lixo tóxico emocional, ódio e escuridão, com o passar dos anos.

Ao sofrer, a pessoa vai querer que outros sofram também. Assim, quem não se cuida, machuca os outros ao seu redor. Especialmente aqueles que incorporam o sentimento de vítima, são os mais inclinados a machucar as pessoas mais próximas de si.

Então, como lidar com esta situação? Aqui vão minhas dicas:

1. Não retrucar ou passar para frente a raiva e violência.

A pior coisa a fazer é entrar na baixa sintonia. Reverberar o ódio, espalhar a escuridão, só vai fazer tudo ficar pior: seu coração, seu relacionamento, o mundo… nada de bom há nisso.



2. Não ignorar, silenciar e guardar a mágoa.

Isso vai envenenando, causando dor e até doença física. Não queira enterrar o lixo tóxico. Vai envenená-lo(a) por anos a fio. Eu entendo que toda doença física é fruto de emoções presas. Prender emoções negativas atrapalha seu crescimento espiritual e mina seu bem-estar. Depois acaba saindo como raiva e escuridão também.


3. Não achar que precisa ensinar o agressor.

Não é hora de educar. Quando alguém está lhe atacando, não o está aceitando como instrutor. A pessoa só vai levar isso como um ataque. Afinal, você estará apontando erros na pessoa. “Sabe qual é seu problema?…” Isso é um ataque e nada de bom virá disso. Você vai se frustrar e ser ainda mais agredido.


4. Sem acusar, em tons neutros, depois de umas horas, expresse sua dor ao agressor.

Deixe claro que se sentiu ferido. Melhor até aproveitar a tecnologia e fazer por mensagem, por escrito. Constar e registrar o ato. Ao escrever e se expressar, você também tira de dentro de você a dor e a negatividade. O agressor pode ter a chance de arrepender e pode ver a necessidade de mudar sua atitude e controlar sua ira.



5. Para se limpar de toda sujeira e fazer sua vida melhor, precisa invocar suas armas mais poderosas: amor e gratidão.

Tente meditar nas boas qualidades da pessoa e nas boas coisas que lhe fez. Se estiver se sentindo bem avançado e leve, expresse, em seguida, essa gratidão e amor ao agressor. Toda agressão é um pedido de amor.


Bônus – três atitudes para implantar no dia a dia:

  • Primeiro, crie limites. Determine quantas vezes vai deixar isso acontecer. Não se submeta à violência sem fim. Afaste-se da pessoa que não consegue parar de agredir, não importa quem seja. É bom para ela e bom para você.
  • Segundo, cultive desapego e diminua a dor lembrando que não é pessoal. É um aspecto natural, apesar de triste e evitável, do mundo material. Você apenas estava no lugar errado na hora errada e virou alvo de um coração escurecido. Por mais que pareceu pessoal o ataque, não é. É fruto de uma mente sofrida, de uma pessoa que não tem amor-próprio suficiente para se cuidar melhor, para se situar bem em auto-aprimoramento e autorrealização.
  • Por fim, refugie-se em Deus. Lembre-se de que existe uma realidade divina e perfeita, de puro amor, aguardando você. A morada de Deus é real e devemos usar esta vida humana para voltar ao Lar, voltar ao Supremo, livre de toda escuridão. O aspecto marcante da morada de Deus, que podemos ver na literatura sagrada do yoga e da tradição de Krishna, é a infinita atividade amorosa – variados e inúmeros relacionamentos amorosos entre os devotos de Deus e com Deus.

____________

Direitos autorais da imagem de capa: dolgachov / 123RF Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.