6min. de leitura

“Coisas não mudam e não podem mudar. Somente você pode mudar.”

Vivemos numa inquietação e medo atrás de grades e cercas criadas e projetadas por nós mesmos. Não percebemos a fragmentação do nosso SER, estamos num sono hipnótico que tiranicamente governa toda a existência da nossa própria vida.


O Pathwork é uma metodologia de autoconhecimento e autotransformação que nos ajuda a reconhecer e expressar quem realmente somos. Precisamos enfrentar os infernos da mediocridade e do comum.

Para isto é necessário acordar e sentir o pulsar do sangue nas veias. Por muito tempo temos renunciado a nossa própria vontade e colocado a nossa vida nas mãos do mundo. Um mundo externo que representou para nós uma única realidade, e dele fizemos uma divindade suprema, um ídolo que nos guiava e, portanto, não teríamos responsabilidade sobre nossos atos. Uma barganha!

Ocorre que este mundo não é real, ele é somente um reflexo.

São nossos pensamentos, emoções, atitudes que tomam forma no mundo de eventos e respondem a qualquer pedido nosso. Difícil acreditar, né?


Precisamos colocar ordem em nossa vida e nos libertar de compromissos e programações a que estamos habituados autônomos, dedicando-nos a juntar um sistema educativo que indique a via de saída deste formato de ser, destes moldes prefabricados. E que nos traga de volta a nossa Essência Criadora Consciente!

E esta consciência acontece em cada encontro com outros seres, homens e mulheres, podemos reconhecer um fragmento de nós mesmos, em cada encontro podemos aproveitar a oportunidade de trabalho, de confrontos com uma parte desconhecida, não resolvida dentro de nós. Este jogo de encontros terá a duração da nossa incompreensão e da rigidez das nossas resistências.

Neste jogo perceberemos que o mundo é uma criação nossa e que os outros são nosso reflexo, aprenderemos que o mundo não tem poder de nos eleger ou nos abater; de que não existe fora de nós uma vontade hostil que controla e governa nossa vida.


Porque o mundo é a nossa própria sombra e sempre procuramos e gostaríamos de encontrar nele o que já temos dentro de nós mesmos, a LUZ!

Por isso, precisamos entender que os outros são por fora o que somos por dentro, são reflexos de tudo que não queremos ver, sentir e tocar das nossas partes menos lisonjeiras.

Desperdiçamos muita energia com a falta de disciplina ou de controle, e isto nos afasta da nossa Fonte Interna Infinita, o que nos conduz a uma sensação de impotência, sensação de ter sido tragados por um redemoinho ou arrebatados por um tufão. E nesta confusão, tanto no interno quanto nos outros vamos provocando dores, amortecimento através de fagulhas e atritos em situações que necessitam de esclarecimento e soluções urgentes.

O que fazer? A solução é empenhar nossos esforços no sentido de poupar forças com as resistências e direcionar melhor as nossas ações para objetivos bem definidos, na nossa verdade interna. Olhar para o interior com compaixão, sim, mas sem excessos de tolerância. Quando estamos obcecados por uma ideia ou problema a ponto de não conseguirmos raciocinar claramente, isto significa que perdemos a conexão com a realidade e estamos no traiçoeiro universo do ego. Se isto ocorrer precisamos recolocar os pés no chão, conectar com nossa essência!

Como? Use a Dança Sagrada, dançando em espiral descalço como instrumento para corrigir a direção ou utilize uma caminhada de pés no chão para entrar em contato novamente com seu próprio corpo e com a Mãe Terra.

Sinta a energia fluir para restabelecer a harmonia e o equilíbrio entre o corpo, a mente e o espírito, buscando sua unicidade.

Porque “O Amor de Deus impregna tudo o que foi criado. É uma força viva, um feixe de luz que se une a si mesmo numa volta eterna, já que tudo o que é espiritual se movimenta na perfeição circular. Todas as criaturas procuram conscientes ou inconscientemente, neste poderoso feixe luminoso de Amor.” Pw002-Pathwork.

E neste momento, com total autorresponsabilidade,  compromisso e conexão com o seu coração, você encontrará seu caminho, sem conflitos internos. Tudo mudará, as pessoas a sua volta, as situações. Não porque você mudou as coisas, mas porque você mudou o seu jeito de ser, alterou sua forma de ver, sentir e agir de dentro para fora. Somente assim poderemos ser felizes.

Foi para isto que nascemos nesta era. Aprimorar nosso jeito de SER! Descobrir a nossa LUZ interna.


Direitos autorais da imagem de capa: wall.alphacoders.com  / 533462Martin Kühn





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.