Pessoas inspiradoras

Com 49 anos, merendeira realiza o sonho de voltar a estudar e entrar em uma faculdade

capa site Com 49 anos merendeira realiza o sonho de voltar a estudar e entrar em uma faculdade 1

Danilo Santana usou as redes sociais para mostrar a mãe realizando o sonho de voltar aos bancos escolares. Ela se matriculou na mesma instituição em que ele e os irmãos estudaram.

Somos movidos por sonhos. Quantas coisas você deixou de fazer, de quantas abdicou para ficar mais próximo de determinados objetivos? Isso é o que nos movimenta, o que nos faz levantar todos os dias e bater ponto naquele trabalho, sabendo que poderíamos curtir muito mais os momentos em festas, com os amigos.

Mas nem tudo é festa, e muitos indivíduos passam uma vida inteira até ficar mais próximos da concretização dos sonhos. Esse é o caso de Djanira Santana, de 49 anos, que conseguiu retomar os estudos depois que seus filhos cresceram. E foi justamente um deles, Danilo Santana, de 24 anos, e hoje cientista social, quem mais deu forças para que ela voltasse aos bancos escolares.

Djanira passou 29 anos acompanhando o crescimento dos filhos e batalhando para pagar as contas, sempre imaginando como seria voltar a estudar. Mas tudo deu certo, e seu filho Danilo compartilhou em seu perfil do Instagram alguns momentos da mãe lutando para retomar a educação formal.

O caso aconteceu em Santa Teresinha, na Bahia. Danilo, hoje vereador, auxiliou no processo de recuperar o histórico escolar da mãe. O empenho foi grande, e ele explica que depois da árdua tarefa, finalmente Djanira teve a possibilidade de se matricular na educação de jovens e adultos (EJA) para concluir a etapa VI (1º e 2º anos do ensino médio).

2 Com 49 anos merendeira realiza o sonho de voltar a estudar e entrar em uma faculdade

Direitos autorais: reprodução Instagram/ @seguedanilo

Djanira vai concluir o ensino médio na mesma instituição em que os filhos tiveram a oportunidade de estudar, o Colégio Estadual Luís Eduardo Magalhães, onde ela também frequentou durante muitos anos, mas como merendeira. O primeiro dia de aula foi marcante, e ganhou espaço em jornais locais e nacionais, no dia 17 de fevereiro, sendo possível ver nitidamente o sorriso estampado no rosto da matriarca.

Ela continua trabalhando como merendeira, hoje em um centro de Atendimento Multidisciplinar para Pessoas com Necessidades Educativas Especiais, e sendo a pessoa de que sempre se orgulhou: aquela que incentiva os outros a estudarem. A educação, além de transformadora, é capaz de emancipar os alunos de relações que aprisionam, sejam elas profissionais ou pessoais.

3 Com 49 anos merendeira realiza o sonho de voltar a estudar e entrar em uma faculdade

Direitos autorais: reprodução Instagram/ @seguedanilo

Quando temos um sonho e o vemos se realizar, sentimos ainda mais vontade de fazê-lo dar frutos, de colocar tudo em jogo para que esses frutos sejam excepcionais. Djanira hoje tem a possibilidade de fazer o que sempre quis, mas passou quase três décadas vendo os outros fazerem: cursar o ensino médio. Para quem tem facilidades, pode ser um sonho “bobo”, mas quem valoriza a informação acima de qualquer bem material sabe a importância dos títulos.

Segundo reportagem da rede CDN, Djanira disse que está muito feliz em voltar à escola, poder fazer amigos e aprender com os professores. Sempre incentivando os filhos a estudarem, ela contou que hoje todos estão formados e que espera pegar o diploma do ensino médio para entrar em uma universidade, outro sonho que sempre alimentou.

4 Com 49 anos merendeira realiza o sonho de voltar a estudar e entrar em uma faculdade

Direitos autorais: reprodução Instagram/ @seguedanilo

Danilo conta que a mãe sempre foi a figura que o incentivou a estudar, estando presente em todas as suas etapas educacionais. Fazer parte desse momento de Djanira é, sem dúvida, emocionante, além de gratificante e de passar a sensação de dever cumprido. Para dar entrada na papelada, foi preciso resgatar o histórico escolar da merendeira.

5 Com 49 anos merendeira realiza o sonho de voltar a estudar e entrar em uma faculdade

Direitos autorais: reprodução Instagram/ @seguedanilo

O vereador ainda explicou que o programa Estado Solidário, do governo da Bahia, também contribuiu de maneira significativa com as escolas para fortalecer a busca ativa. Tentando se reinventar, as instituições também precisam identificar os possíveis problemas que os alunos estejam enfrentando, mostrando que a comunidade escolar e local sempre podem lhe oferecer apoio.

0 %