4min. de leitura

Com paralisia cerebral, homem vende balas nas ruas para realizar sonho de fazer faculdade

O que você faz para realizar os seus sonhos?


Não é novidade para ninguém o fato de que nós vivemos em uma sociedade organizada de maneira muito injusta, onde há muito poder e dinheiro nas mãos de poucos, e por isso as pessoas que nasceram sem nenhum tipo de privilégio precisam se esforçar ainda mais para ter acesso àquilo que deveria ser seu direito ao nascer.

Infelizmente, muitos são obrigados a lutar sozinhos pelos seus sonhos e direitos, e isso é algo que causa profunda comoção em todos nós e desperta o desejo de ajudar e dar visibilidade para eles, para que possam ser capazes de alcançar o que tanto almejam.

Quando vemos que uma pessoa faz o melhor de si para ser capaz de conquistar aquilo que deseja, mesmo em condições desfavoráveis, recebemos uma grande lição que nos faz reavaliar toda a nossa vida e aprender a dar valor a tudo o que temos, porque somos realmente muito abençoados.


Esses exemplos nos ajudam a sermos pessoas melhores e nos incentivam a compartilhar essa mensagem com outras pessoas, para que juntos possamos construir uma sociedade melhor para todos.

Por isso hoje compartilhamos a história de José Crispolini Filho, um homem de 37 anos, com paralisia cerebral, que vive na cidade de Franca (São Paulo) e todos os dias enfrenta uma rotina pesada para conquistar o seu sonho.

José nasceu prematuramente depois de a sua mãe sofrer um AVC e, durante o parto, houve falta de oxigênio em seu cérebro. Capaz de se locomover apenas em cadeira de rodas elétrica, José vai todos os dias para os semáforos de sua cidade para vender balas com o objetivo de entrar na faculdade e se tornar teólogo.


Esse trabalho não é nada fácil e, como é de se esperar, ele enfrenta muitos desafios, como o calor, o trânsito e a falta de empatia dos condutores, mas nada disso faz com que ele desista, porque deseja criar uma vida melhor para si mesmo quando estiver mais velho.

“Somos do tamanho dos nossos sonhos”

“Hoje, trabalho no sol, mas vai chegar um dia que não vou dar mais conta; preciso construir uma estrutura para o futuro, é por isso que escolhi Teologia, para ajudar as pessoas na questão motivacional. Costumo dizer que somos do tamanho dos nossos sonhos”, conta José.

José é um homem que tem um movimento muito limitado nos braços e nas mãos, e se locomove apenas com a ajuda da cadeira de rodas elétrica. Isso seria o suficiente para fazer com que ele desistisse de qualquer objetivo pessoal que exigisse algum tipo de esforço, mas ele não abandonou seus sonhos, por isso merece toda a nossa admiração e respeito.

Torcemos para que ele conquiste todos os seus sonhos e o parabenizamos por sua coragem e determinação.

Compartilhe o exemplo de José com os seus amigos nas redes sociais!

 

*Com informações de G1.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos. Direitos autorais das imagens utilizadas no texto: José Augusto Júnior/EPTV.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.