7min. de leitura

Como abraçar a sua vulnerabilidade e fazer dela a sua maior força

O que você associa quando dizem para se permitir  ou demonstrar sua vulnerabilidade? Talvez seja fraqueza, medo, mágoa ou traição. Estas são emoções profundas que as pessoas experimentam quando revelam aspectos de si mesmas para os outros. Vamos ser verdadeiros, vulnerabilidade não é um sinal de fraqueza, mas pode ser a sua maior força.



O professor de pesquisa e autor Brené Brown afirma em seu livro “Mais forte do que nunca”:

Vulnerabilidade não está ganhando ou perdendo; é ter a coragem de aparecer e ser visto quando não temos controle sobre o resultado. A vulnerabilidade não é fraqueza; é a nossa maior medida de coragem.

A vulnerabilidade é uma espada de dois gumes. Aqueles que se protegem para evitar de se machucar, não conseguem apreciar a intimidade  e  viver  relacionamentos íntimos.


Todos nós nascemos vulneráveis.

Vulnerabilidade é sobre  aparecer e ser visto. É difícil fazer isso quando estamos aterrorizados com o que as pessoas podem ver ou pensar. – Brené Brown

Todo nós somos vulneráveis, não importa o quanto tentamos evitar. Nascemos vulneráveis e permanecemos assim durante toda a nossa infância. Nosso relacionamento com a vulnerabilidade é algo com o qual estamos familiarizados, ainda que abandonemos enquanto nós nos moldamos na fase adulta.


Sua associação com a vulnerabilidade requer uma mudança de consciência para fortalecer seu bem-estar emocional.

Não adianta erguer barricadas ao seu redor, enquanto espera que, ao mesmo tempo, outros os vejam.

A parede que você constrói evita que sua verdadeira natureza seja conhecida pelos outros.

Sua tarefa não é buscar o amor, mas apenas buscar e encontrar todas as barreiras dentro de você, que você mesmo construiu contra isso.

Você deve aceitar sua vulnerabilidade,  se você  realmente deseja viver uma vida saudável. Mesmo o menor ato de deixar é um compromisso com seu crescimento pessoal.

“Quando experimentamos uma grande perda ou dano ” coração partido “,  percebemos que o nosso coração realmente  não está quebrado. Na verdade, o protetor do coração se abre para nos permitir sentir todas as emoções completamente “.

O que acontece quando as pessoas abrem o coração? Elas melhoram. – Haruki Murakami

A vulnerabilidade é um ato de coragem porque você se funde com seu eu autêntico, em vez de se esconder atrás de uma fachada para apaziguar com os outros.

É dentro do desconhecido onde está o seu maior potencial. A natureza humana é imperfeita, mas o paradoxo é que estamos inteiros dentro dessa esfera de imperfeição.

Para abraçar a vulnerabilidade como sua maior força, você precisará tomar consciência dos seus pontos de dor. A retaliação leva ao sofrimento, já que é provável que você venha defenda sua dor como um animal ferido.

O neuropsicólogo Mario Martinez escreveu em seu livro: The mind body code: Como mudar as crenças que limitam sua saúde, longevidade e sucesso. Ele diz:

A ferida que você escolhe para interpretar sua dor,  torna-se um escudo de proteção contra o perdão, porque liberando seu rancor, significa ser novamente vulnerável.

A vulnerabilidade envolve a cura de suas áreas fraturadas pela fusão com a totalidade do seu ser.

Considere isso semelhante a um quebra-cabeça espalhado pelo chão. Alguns podem dizer que o quebra-cabeça está incompleto, dado que as peças estão jogadas ao chão. No entanto, reunindo todas as peças, você cria a peça inteira, peça por peça.

Essa é a história do coração da sua vida. Você rejeitou suas partes fraturadas, em vez de tentar juntá-las.

Para curar sua dor, é necessário realizar um processo de autoexame. Você deve se tornar curioso sobre por que você reage quando seus gatilhos de dor são disparados.

Toda pessoa tem limites de dor. Se não forem controlados, eles se inflamam e dominam sua paisagem emocional, para não mencionar sua saúde física.

No momento em que você cura a dor, você a restabelecerá na totalidade do seu ser.

O sofrimento ocorre quando você se concentra em sua tristeza, em vez de apreciar a beleza e a riqueza de seu eu completo.

É como se estivesse olhando através de uma lupa suas partes quebradas. Você dá mais atenção do que merecem, de modo com que os outros sejam conscientes também  de suas fraquezas.

Suas sombras são um aspecto do seu personagem. Quando curado, você percebe a integridade do seu ser. Portanto, torne-se um estudante da vulnerabilidade ao assumir pequenos riscos.

Este ato de auto-renovação brilha uma luz sobre suas partes fraturadas e é levado à sua consciência, visto pelo que são: uma cortina de fumaça.

Da mesma forma, tenha cuidado com o ego e sua aversão a ser vulnerável. O ego gosta de proteger sua imagem e a vulnerabilidade passa a se tornar uma doença em sua armadura.

O que eu quero dizer é que sua  fraqueza fará de tudo para protegê-lo.

O seu maior triunfo meu (minha) amigo (a) surgirá quando você se inclinar para suas vulnerabilidades com o coração aberto e  com compaixão.

Confie na sabedoria do seu coração e na sua essência real, não na voz da sua cabeça, e só então você vai apreciar como a vulnerabilidade é um ato de força e coragem.


Direitos autorais da imagem de capa: Fa Barboza / Unsplash

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.