AtitudeAutoconhecimentoFelicidadeVida

Como as mulheres podem abraçar o seu poder:

poder

Por Marcia Reynolds Psy.D. | Tradução: Scheila Adriane Grade



Eu gostaria de banir o mito amplamente difundido de que as mulheres se sentem desconfortáveis ​​com o poder, que não estamos em contato com o nosso poder ou não gostamos de usar o nosso poder. Estas declarações não são verdadeiras, e elas prejudicam a credibilidade das mulheres.

Eu acredito que é verdade que as mulheres colocam o seu poder fora de si mesmas. Mas primeiro temos de ter poder, a fim de dá-lo a outros.

Eu também acredito que é verdade que as mulheres não gostam de reconhecer publicamente o seu poder. Nós não dizemos às outras pessoas que gostamos de ter poder, e nós relevamos elogios sobre o poder que demonstramos. Fazemos isso porque ainda enfrentamos críticas em situações sociais e empresariais se admitirmos desfrutar a sensação de poder.


A verdade é que nós gostamos de nos sentir poderosas. Mas se não podemos dizer isto às pessoas, não estamos totalmente abraçando nosso poder.

Nós gostamos de nos sentir no controle e não gostamos quando os outros tentam tirar esse controle de nós. Nós gostamos de ser ouvidas. Nós gostamos de fazer um trabalho importante e sentir que o nosso trabalho é significativo.

Então, por que tantas pessoas continuam a dizer-nos, “acesse seu poder”? Porque nós temos dificuldade em dizer: “Eu sou poderosa”, embora nós gostamos do sentimento. Nós coramos quando as pessoas dizem que intimidamos os outros e respondemos, dizendo: “Quem eu? Como eu poderia ameaçar alguém?” Em seguida, nos sentimos mal que essas pessoas pensam que somos inacessíveis mesmo que secretamente gostamos de nos sentir fortes.

Portanto, se você é uma mulher, considere as seguintes perguntas:


1. O que será necessário para você admitir que você tem talentos, habilidades e sabedoria que as pessoas admiram e reconhecem?

2. O que será necessário para que você sinta orgulho do efeito que tem sobre os outros?

3. O que será necessário para que você possa apreciar ser colocada em um pedestal, porque você é um modelo para os outros seguirem?

Você tem medo que as pessoas vão julgá-la negativamente?


Você tem medo que você vai perder amigos, se você está orgulhosa em seu poder? Você pode perder amigos que estão com inveja de você, mas ganhar aqueles que amam a sua demonstração de confiança.

Você tem medo que você terá muito poder para lidar? Você não vai saber com o que você pode lidar até experimentar.

Que medidas pequenas que você pode tomar hoje para testar se as suas suposições sobre os maus efeitos de mostrar o seu poder são verdadeiras? Se você puder provar para o seu cérebro que você vai ser admirada mais do que criticada, que você vai ganhar amigos que te apoiam para substituir os que você perde, e que você pode lidar com as responsabilidades crescentes dadas a você (especialmente se você sabe como pedir poderosamente ajuda), em seguida, suas crenças sobre o seu poder irão mudar.

Por fim, eu gostaria de compartilhar uma idéia que eu ouvi de Pattie Sellers, Editora da revista Fortune.


Pattie tem sido responsável pela lista de mulheres mais poderosas da revista Fortune desde 1998. Ao longo dos anos, ela entrevistou as mulheres mais bem sucedidos e poderosos nos Estados Unidos. Todas elas pareciam estremecer com a palavra poder até que ela teve uma segunda entrevista com Oprah Winfrey.

Em sua primeira entrevista, Oprah jurou que ela não gostou da idéia de ser poderosa. Três anos depois, ela mudou de idéia.

Pattie explicou que geralmente quando as pessoas falam sobre o poder, elas estão se referindo a visão masculina de “poder sobre os outros” ou levar as pessoas a fazer o que você quer que elas façam.

Oprah disse a ela que, quando ela percebeu que seu poder era “gerar um impacto com propósito”, em seguida, ela caiu de amores pela idéia de ser poderosa.


Poder sobre os outros é vertical, olhando de cima para baixo.

Poder com impacto é horizontal, influenciando o mundo exterior a partir de onde estamos.

Você é uma mulher de impacto? Se você está afetando a sua família, o seu grupo de trabalho, a sua comunidade ou o mundo, você está exercendo o seu poder. Quanto mais você aceitar que você é poderosa, mais bem você pode fazer.

E quando você abraçar o seu poder, você será mais capaz de capacitar outras mulheres.


Vamos redefinir o poder para que possamos amá-lo, recuperá-lo e usá-lo de todo o coração. Então, talvez, as pessoas vão parar de perpetuar o mito de que as mulheres não gostam de poder.

Marcia Reynolds, Psy.D. é autora de Mulher Maravilha: Como Mulheres Realizadoras Encontram Contentamento e Direção. Ela é também presidente da Covisioning, uma empresa de coaching de liderança e formação que trabalha com uma variedade de pessoas e organizações em todo o mundo para desenvolver líderes e aumentar a colaboração entre os funcionários.

Via: portaldivina.com


30 crenças limitantes comuns às mulheres:

Artigo Anterior

Você ainda é um pouco meu…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.