COMO ATRAIR E MANTER O VERDADEIRO SUCESSO EM UM RELACIONAMENTO:

Assim como na profissão e no trabalho que escrevi algum tempo, o verdadeiro sucesso nos relacionamentos também se baseia na sua essência e não na aparência, pois mostrar para os outros o que na realidade não está bem, é muito fácil.

O verdadeiro sucesso vem muito mais da satisfação interior.

Aqui anotei dicas muito importantes que acredito serem de bastante eficácia para obter o máximo de proveito e satisfação verdadeira num futuro relacionamento, assim como manter o já existente – pois mais importante do que conquistar, é manter – o que praticamente a maioria deseja.

Se porém você não se enquadra nessa maioria, também pode tirar algum proveito de algumas das “regrinhas” básicas; porém, fuja das “dicas ou meios infalíveis” que você talvez já tenha visto por aí para atrair quem quer que seja, pois além de serem forçados, (a custo de magia ou outros artifícios) são apenas ilusórios ou paliativos, e até em muitos casos, perigosos.

como-atrair


– ESTAR BEM CONSIGO MESMO:

Antes de partir para um relacionamento, é necessário estar bem consigo mesmo e isso não só inclui ter uma boa autoestima e autoconfiança, como também não estar passando por problemas sérios. Também se você terminou recentemente um relacionamento (não importando se foi você ou outra parte) e ainda se sente magoado(a), é melhor dar um tempo para você mesmo(a) até se sentir mais confiante e otimista. Se você estiver também na carência afetiva, esqueça relacionamento nessa fase. Isso não só prejudicará você mesmo(a) quanto a outra pessoa. E não fique ansioso(a) para conquistar alguém logo e nem
crie expectativas de que o outro vá preencher todas as suas necessidades ou expectativas e te fazer feliz. A felicidade tem que partir apenas de você; o outro é só uma companhia. Cuide muito bem de você e se ame. Valorize-se! Só assim você conseguirá conquistar e valorizar também o outro.


– DEFINIR BEM O QUE VOCÊ QUER REALMENTE DE UM RELACIONAMENTO E O QUE NÃO APROVA DE JEITO NENHUM ANTES DE ENTRAR
EM UM:

Você pretende morar junto, se casar e ter filhos? Ou prefere só namorar e não ter filhos? Quer namorar uma pessoa religiosa ou muito espiritualista, ou prefere uma pessoa mais cética? Quer ter um namoro liberal ou um namoro fiel? Prefere uma pessoa com filhos ou sem? Essas e outras perguntas consideradas básicas para iniciar um relacionamento são de extrema importância, pois se você quer uma coisa e o outro não corresponder suas características pessoais, dificilmente você conseguirá fazer o outro mudar de ideia depois.


– CONHECER BEM A PESSOA ANTES DE ABRIR SEUS SENTIMENTOS:

conhecer

Muita gente cai na armadilha de ver apenas a aparência, seja ela física, mental (maneira da pessoa conversar), emocional e até espiritual aparentes e se esquece de que a grande maioria no início tende a expor apenas o seu melhor só para impressionar, e muitas vezes não condizendo com a realidade, deixando para depois da conquista se revelar realmente quem é, e aí o tombo muitas vezes é inevitável; você cai numa grande desilusão. Procure dar tempo ao tempo para se conhecerem melhor a cada dia; não abra demais seu “livro” interno nem acredite em tudo que o outro fala. Paciência e prudência nessa fase é fundamental.


– EVITAR SE RELACIONAR COM ALGUÉM DE LONGA DISTÂNCIA OU MANTER RELACIONAMENTOS VIRTUAIS:

A menos que você queira apenas uma aventura ou esteja disposto a sofrer pelas consequências, a chance de dar certo é mínima, e mesmo que dê, não é um relacionamento saudável e que possa durar por muito tempo, mesmo que se utilize de câmeras para interagir um com o outro ou se vendo pessoalmente vez ou outra; não é mesma coisa; sem contar com os diversos imprevistos, comunicação restrita e contato direto tão importantes. Para se ter um relacionamento saudável e duradouro é necessário que ambos se conheçam bem, e para isso a aproximação e o contato direto é fundamental.

Lembre-se: nem sempre quando um casal fica muito tempo junto significa que deu certo. Há casais que não têm coragem de desfazer um relacionamento justamente para mostrar à sociedade em que convive que estão bem e no fundo não estão, é apenas uma fachada. Mas isso é muito mais prejudicial do que uma separação.


– ESQUECER O IDEAL, O ROMANCE PERFEITO:

Isso só existe nos contos de fadas, nas novelas e nos filmes; na realidade tudo é diferente. Lembre-se que perfeição é muito subjetivo, cada pessoa vai imaginar o que é perfeição, para ela. Portanto humanamente não existe perfeição única e também porque as pessoas e coisas são perfeitas dentro da sua própria concepção de imperfeição. Pode soar contraditório mas não é. Portanto não exija do outro o que normalmente a sociedade prega como companheiro(a) perfeito(a) quando você se sente muito bem com a pessoa do jeito que ela é para você.


– COMUNICAR-SE E SER SINCERO SEMPRE:

A comunicação e a sinceridade são partes essenciais num relacionamento a dois, pois sem elas se perde o rumo da situação. Comunicar o essencial para o outro e com sinceridade, é fundamental. O que o outro costuma fazer por exemplo e o que precisa ser feito, seja com ele mesmo, com terceiros ou familiares só vai ajudar a criar confiança que é outra parte fundamental para uma relação saudável. Esconder do outro o que normalmente se faz ou que precisa ser feito ou fez, seja bom ou não e mesmo mentir, só vai criar uma aura de mistérios e dúvidas gerando desconfianças. Evite também ao máximo, gritar com o outro, xingar e falar palavras torpes (palavrões); isso pode gerar uma mágoa difícil de eliminar depois.


– MANTER SEMPRE UM DIÁLOGO COM HONESTIDADE:

Outro ponto importante que se não tiver num relacionamento a dois acaba com a intimidade verdadeira e o próprio relacionamento. Dialogar é conversar a respeito do próprio relacionamento e de cada um, para assim chegar a um consenso, mas não precisa ser diariamente, mas sim quando os dois estiverem dispostos. Num diálogo, a honestidade precisa estar sempre presente, ou seja, falar o que realmente se sente e não ter vergonha de expor o que gosta e o que não gosta. Fingir ser outra pessoa ou fingir algo que não sente só para impressionar, nunca deu certo; a máscara sempre cai um dia; para evitar isso existe o diálogo e a honestidade.


– DAR APOIO UM PARA O OUTRO:

Se um não costuma apoiar o que o outro faz ou pensa, no mínimo não deve atrapalhar. Ninguém tem o dever de aderir a tudo o que o outro faz só por causa do relacionamento, pois cada um tem os seus gostos, suas crenças, sem no entanto impedir a escolha do outro. Respeitar as diferenças do outro e ser independente nessa parte é essencial. Ajudar também no que for preciso, desde que você esteja disposto e o outro aceite.


– TER PACIÊNCIA NOS MOMENTOS DIFÍCEIS:

casal-sentado-na-grama

Todo relacionamento por mais que seja harmonioso, sempre haverá algumas fases difíceis de passar que se não tiver paciência, não vai para frente. Compreender um ao outro é a base para se ter essa qualidade fundamental, até que a fase ou a crise passe. Entretanto, evite contar para os outros o que estão passando a não ser que o problema exija intervenção de alguém que realmente possa orientar, como um tarólogo ou terapeuta. Contar para alguém que além de não poder orientar, se intromete, vai aumentar mais o problema.


– MANTER SEMPRE QUE POSSÍVEL O BOM HUMOR:

Ficar sempre na seriedade não dá muito certo. É fundamental o bom humor mas sempre com respeito. Mesmo sendo já adultos existe sempre uma criança dentro de nós e não é nenhuma vergonha admitir isso. Precisamos de vez em quando sair do nosso mundo adulto para “voltarmos” ao mundo infantil, pois só assim o relacionamento cresce. Brincar dentro dos limites, claro, faz um bem muito grande. Pesquise os benefícios do riso e você tirará suas conclusões.


– RESPEITAR E TER CONSIDERAÇÃO PARA COM O OUTRO:

Antes do amor, existe o respeito e a consideração que é não forçar ninguém a fazer o que o outro não quer ou mesmo fazer o que o outro desaprova após já terem definido o que querem ou não, dentre muitas outras atitudes que prejudicam o outro de alguma forma.
Pense no outro antes de falar e agir.


– EVITAR COMPARAÇÕES COM RELACIONAMENTOS PASSADOS OU COM RELACIONAMENTOS DE AMIGOS E CONHECIDOS:

Muita gente faz isso, fica comparando com os ex relacionamentos (quando era no início) ou com relacionamentos de amigos e conhecidos que faz uma coisa e quer que o companheiro(a) faça igual; por exemplo: dar muitos presentes, levar o outro para jantar em restaurantes requintados, dar sempre flores, abrir a porta do carro, etc. Isso acaba com qualquer relação, pois cada um é diferente do outro e nem sempre se está disposto a mudar só porque o outro quer. Dê mais valor para seu relacionamento e esqueça os dos outros. Sugestões são bem vindas desde que a outra parte também aceite de bom grado.


– EVITAR DOAR PARA RECEBER ALGO EM TROCA OU COM SEGUNDAS INTENÇÕES:

Nem sempre o outro vai te dar algo em troca e principalmente o que você espera. É melhor doar para si mesmo o que verdadeiramente se quer. Se quer mesmo oferecer algo, que seja de coração e não para conquistas posteriores nem com segundas intenções. Cuidado também com excessos nessas doações para não deixar o outro mal acostumado.Trocas num relacionamento é primordial mas devem ser justas, baseadas no respeito e dentro dos limites.


– EVITAR AS COBRANÇAS:

Nenhum relacionamento sobrevive com cobranças especialmente se elas forem constantes e com um certo exagero. Discutir por qualquer motivo quando por exemplo o outro não pode ligar ou ir ao encontro, ou mesmo ter esquecido uma data especial. Basta conversar. Querer também que o outro aprove sempre o que se faz e discutir por isso, é crucial. Quem tem que aprovar o que você faz antes de mais nada, é você mesmo. Não adianta também exigir atenção do outro o tempo todo e as aprovações do que se faz, pois ficará algo forçado e até pior. Claro que se houver sempre uma indiferença nessa parte, algo estará meio estranho e seria bom sentar e ter uma conversa, mas sem precisar brigar.


– NÃO ABANDONAR OS AMIGOS OU RELAÇÕES SOCIAIS POR CAUSA DO RELACIONAMENTO:

Mas é importante deixar bem claro desde o início e não desconsiderar o outro no relacionamento. A dedicação tanto com os amigos quanto no relacionamento é essencial. Apresentar os amigos para o(a) companheiro(a) é uma boa atitude quando existe uma oportunidade.


– FAZER ACORDOS:

Isto já está incluído no diálogo. Deixar já determinado o que ambos querem em todos os assuntos é muito importante desde o início.


– MANTER CADA UM A SUA PRIVACIDADE:

privacidade

Dar sua senha de email ou mesmo do banco dentre outras coisas de ordem pessoal e/ou exigir do outro que faça o mesmo não é algo normal. Também exigir que o outro esteja sempre por perto é impedir a liberdade individual do outro, que é tão importante numa relação a dois. Também isso está mais próximo do domínio ou controle um do outro do que um relacionamento propriamente dito. Dificilmente um relacionamento vai para frente quando existe insegurança (ciúme, excesso de apego e desconfiança) e de um querer dominar ou controlar o outro. Nestes casos aqui já está incluído a primeira regrinha do inicio. Mas se você adquiriu essa baixa auto-estima depois do relacionamento é hora de avaliar seu comportamento tentando mudar isso se não quiser destruir o relacionamento pouco a pouco. Quem realmente está bem consigo mesmo, se ama e se valoriza não tem necessidade de controlar nem dominar o outro. Pense nisso.


– CUIDAR PARA NÃO FALAR TANTO DOS RELACIONAMENTOS ANTERIORES:

Falar de um ex é até inevitável, principalmente no início de um relacionamento em que é preciso contar para o outro o que se passou, para assim se conhecerem melhor; mas falar muito do(a) ex tanto bem quanto mal fica maçante e dá a entender que a pessoa não esqueceu emocionalmente do outro. Portanto, a menos que o outro queira saber tudo o que aconteceu, evite pormenores e detalhes inúteis, contando apenas o básico. Nesse aspecto, todo cuidado é necessário, e deixar o passado para trás, também.


– TER E DAR CARINHO SEMPRE:

Carinho nunca é demais, seja ele em forma de palavras, pequenos gestos, no toque ou em ações. Abraçar também faz um bem muito grande e ninguém resiste a isso quando verdadeiramente o outro faz de coração. Portanto, use e abuse de abraços e muito carinho em qualquer ocasião. Isso ajuda e muito tanto nos momentos íntimos quanto triviais e até nos momentos difíceis.


– PERDOAR QUANDO O OUTRO ERRA PARA PODER CONTINUAR:

Se você quiser mesmo continuar seu relacionamento e da melhor forma possível, você precisa perdoar (aceitar de verdade o erro e o arrependimento do outro), caso contrário, é melhor terminar do que perdoar por fora mas continuar magoado(a) por dentro, levando a cobranças posteriores.


– NÃO RECLAMAR DEMAIS PARA O OUTRO:

Reclamar às vezes é inevitável, visto que todos nós muitas vezes temos a necessidade de expor o que nos incomoda, mas reclamar direto e sempre do mesmo assunto dia após dia, seja de um problema qualquer ou do próprio relacionamento em si, dando demasiada importância aos problemas e sem que o outro possa resolver, com certeza ficará estressante, piorando mais a situação. Procure controlar mais nessa parte procurando solucionar o problema ou mesmo adaptar-se a ele da melhor forma possível a fim de evitar aborrecimentos dentro do relacionamento.


– MANTER SUA INDEPENDÊNCIA FINANCEIRA:

É importante que cada um tenha seu trabalho ou seu próprio rendimento, pois depender financeiramente do outro só leva a uma comodidade e posteriormente a uma dependência emocional, prejudiciais ao relacionamento, pois aquele que sustenta, às vezes se vê no direito de controlar o outro.


– RELEVAR PEQUENOS CONTRATEMPOS:

Todo mundo pode ficar meio chato de vez em quando: um breve mau humor, não ter gostado do corte do cabelo do(a) companheiro(a), não querer falar de um determinado assunto, não responder o que o outro perguntou, esquecer uma data que o outro considera importante, não presentear o outro quando esperado por isso, receber uma pequena crítica (não destrutiva, claro) e demais atitudes que às vezes entristece o outro; mas entenda que é apenas uma fase rápida e que logo passa. São chatices corriqueiras, algo sem muita relevância se comparado com algo grave.


– MANTER A SINCRONICIDADE E A LEALDADE:

Quando existem essas qualidades num relacionamento, dificilmente haverá infidelidade. Se não houver ou houver muito pouca, é hora de reavaliar sua relação. Essa dica é muito importante para um relacionamento duradouro.


– TER PLENA CONSCIÊNCIA DE QUE TUDO NESTA VIDA NÃO É ETERNO :

casal-de-maos-dadas-caminhando-para-longe_1098-971

Esta parte a maioria não aceita, compreendo, mas a realidade existe e é bom evitar o apego excessivo, já que o apego em si é inerente a todo ser humano e inevitável. Por isso pratique um pouco a autossuficiência, embora ela não exista completamente, mas é fundamental para um futuro desapego. Lembre-se sempre que você não nasceu com essa pessoa e com ninguém, e que por isso mesmo você só tem verdadeiramente a você mesmo. Pratique mesmo no relacionamento, a solitude – a satisfação de ficar bem consigo mesmo quando o outro estiver ausente, seja física ou emocionalmente. Não queira também ter sempre ao seu lado tal pessoa. Acostume-se com você sempre. Ame muito mais sua companhia do que a do outro. Desfrute quando ele(a) estiver perto mas quando estiver longe curta sua própria companhia sem sofrer com a ausência do outro. Tenha também outros interesses na vida que não seja relacionamento, como estudar, viajar, se divertir, etc. Você já deve saber muito bem que a verdadeira solidão nada mais é do que a falta ou o medo da sua própria companhia.


Observações importantes: Não conhecemos ninguém por acaso; sempre há um motivo para você ter atraído uma pessoa e mesmo tê-la conhecido e convivido com ela dando certo ou não. Tudo que acontece serve de aprendizagem para evoluir e são mais comuns em relacionamentos. Portanto, use sempre sua intuição pedindo aos seres espirituais, proteção para que junto de sua sensibilidade ajudar você em todas as ocasiões que se apresentarem, sejam elas boas ou más. Fique sempre com a sua luz interior.



Deixe seu comentário